Microsoft enche a bola das fabricantes para evitar stress com o Surface. Foto: divulgação.

A Microsoft anunciou nesta terça a conclusão do desenvolvimento do Windows 8 e a sua versão para processadores baseados em ARM, o Windows RT. Na nota, a empresa destacou que o Windows RT foi otimizado para trazer força total aos tablets da Asus, Dell, Lenovo e Samsung, fazendo a maior propaganda sobre o poderio das novas máquinas.

O texto publicado no blog Building Windows 8 também serviu, de certa forma, para aliviar a situação e encher a bola das empresas de hardware que desenvolveram equipamentos para os novos sistemas.

A decisão da Microsoft em lançar um próprio computador não foi exatamente bem recebida pelas fabricantes. O presidente da Acer, JT Wang, pediu no mês passado para que a empresa pense duas vezes antes de lançar o Surface.

A companhia de Redmond havia anunciado que seu tablet, o Surface, baseado em Windows RT, iria ser entregue em 26 de outubro - dia em que o Windows 8 começaria a ser vendido nas lojas. A linha Surface foi inclusive anunciada, numa declaração meio infeliz da MS, como a sua "nova família de PCs".

As empresas citadas no post, assim como outras fabricantes de renome como a Toshiba e a Acer, já tinham divulgado planos de desenvolver hardware para o novo sistema operacional da MS.

No texto, Mike Angiulo, vice-presidente da equipe de planejamento e ecossistema da Microsoft, não detalhou como será o produto planejado pelas parceiras, deixando a bola quicando para que as próprias empresas façam o comunicado. No entanto ele deu algumas pistas.

Alguns dos tablets e notebooks serão equipados com "teclado completo e soluções touchpad", acopláveis ou tradicionais.

Conforme o VP, alguns dos novos dispositivos serão 11% mais finos que o iPad e pesarão 20% menos que o tablet da Apple. As telas medirão entre 10,1 a 11,6 polegadas, mas não deu especificações sobre a resolução dos displays.

FATIA NO MERCADO

Não que a Microsoft esteja errada ao produzir o Surface. O mercado de tablets se encontra em acelerada expansão, com um crescimento de vendas estimado em 98% para este ano, batendo nos 120 milhões de unidades vendidas.

Ao produzir seu próprio hardware, a Microsoft não apenas estaria investindo em equipamentos otimizados para os seus sistemas operacionais, como também buscando a sua fatia em um mercado altamente rentável. Ainda assim, é melhor deixar os parceiros contentes.