Saldo volta a ficar Positivo. Foto: divulgação.

A Positivo Informática lucrou R$ 1,6 milhão líquido no segundo trimestre de 2012, revertendo prejuízo de R$ 88 milhões do mesmo período do ano passado.

No acumulado do ano, o lucro líquido totaliza R$ 12 milhões.

A reversão foi conquistada apesar de uma queda de 4,7% na receita da empresa paranaense, que foi de R$ 522,6 milhões no 2T12.

Conforme divulgado pela companhia, a recuperação se deve, em parte, à queda de 16% nos custos, que somaram R$ 388,8 milhões no trimestre.

Uma melhora na gestão de inventários e ganhos de eficiência operacional, em especial com custos de mão de obra, também contribuíram para a retomada do lucro.

No segundo trimestre de 2012, a Positivo registrou venda de 589,8 mil PCs, 13,3% a mais do que um ano atrás.

No acumulado do ano, o volume já totaliza 1,1 milhão de unidades, crescimento de 18,6% em relação ao primeiro semestre de 2011 (1S11).

As vendas no mercado brasileiro registraram 552,0 mil PCs no 2T12, aumento de 6% em relação ao 2T11, enquanto na Argentina foram entregues 37,8 mil notebooks Positivo BGH, a maioria no varejo.

No segundo trimestre deste ano, as  vendas da empresa ao varejo totalizaram 472 mil PCs, alta anual de 10%, enquanto para clietnes de governo foram entregues 88,8 mil computadores, 28,4% acima do 2T11.

A maior parte deste volume se refere a laptops educacionais do Prouca vendidos no Brasil.

Para o segundo semestre, a Positivo espera que os volumes no segmento apresentem “significativa aceleração, em função da concentração da carteira contratada de 2012 para o período”.

A estimativa é que o volume de PCs vendidos para o governo atinja mais de 350 mil unidades no Brasil e cerca de 110 mil sob a marca Positivo BGH na Argentina.

CONTRATÃO
Adicionalmente, em junho, a companhia assinou contrato para entrega de até 650 mil tablets para o Ministério da Educação, após ter seus produtos homologados pelo governo brasileiro.

“Estima-se que as entregas tenham início no quarto trimestre deste ano, com maior volume concentrado no primeiro semestre de 2013”, afirma comunicado oficial.

CAPACIDADE PRODUTIVA
No trimestre, a Positivo ampliou sua capacidade produtiva no Brasil e na Argentina

A companhia iniciou uma nova ampliação da fábrica de placas em Curitiba, com investimentos de R$ 11,3 milhões.
No local, a meta é passar do patamar atual de 127 mil para 180 mil placas-mãe/mês a partir de setembro, incremento de 41,7%.

As linhas são flexíveis para a produção de placas-mãe de desktops, notebooks e tablets.
Na Argentina, foram realizados investimentos para ampliar a capacidade produtiva de placas-mãe da Informática Fueguina, na unidade da Terra do Fogo.

Por lá, a capacidade produtiva nominal passará de 30 mil para 50 mil placas-mãe por mês, alta de 66,7%, já a partir de agosto.

O investimento a cargo da Positivo Informática totaliza cerca de R$ 3 milhões.