Martín Cayon.

A Totvs acaba de contratar Martín Cayon, ex-diretor de contas estratégicas da Red Hat no México, para comandar os negócios no que a empresa chama de “Hub Norte”, composto pelo próprio escritório mexicano, além de Equador, Peru, Colômbia e países da América Central.

No México há sete anos, a Totvs nunca tinha contratado um nativo para controlar o negócio por lá. 

“No início de uma operação em um novo país, optamos por enviar uma pessoa que já trabalhe na Totvs há algum tempo para garantir que a cultura da empresa será implementada”, informa Álvaro Cysneiros, diretor de operações no Mercado Internacional da Totvs.

A aposta foi por um nome experiente. Além da Red Hat, onde esteve nos últimos dois anos, Cayon tem passagens por outros players de ERP como Baan e SAP, além de empresas como CA, Oracle, Siebel Systems e Deloitte. 

O México é visto há tempos como um mercado promissor pela Totvs, que, apesar de estar presente em 39 países por canais e com unidades próprias em terras aztecas e na Argentina, ainda obtém uma porcentagem pouco expressiva do seu faturamento no exterior, entre 1% e 1,5%.

Segundo disse ao jornal mexicano El Economista o diretor de Mercado Internacional da Totvs, Marcelo Eduardo, a meta é saltar das cinco franquias atualmente existentes no país para 15 ou 20, com a meta de longo prazo de chegar às mesmas 55 que tem no Brasil.

Caso cumprida, a meta anunciada por Eduardo significaria que metade dos 30 canais que a empresa disse esperar obter fora do Brasil no começo do ano ficariam no México.

Faz tempo que o mercado mexicano é considerado como o mais promissor para a Totvs. Ainda em 2008, o banco de investimentos USB Pactual publicou um relatório afirmando que o México era a maior oportunidade para a Totvs fora do Brasil.

Naquela época, segundo uma matéria da Computerworld, a empresa faturava US$ 9 milhões no país, cifra que o UBS apostava que poderia chegar a R$ 50 milhões “nos próximos três e cinco anos”.

A meta está longe de ser batida. Calculando uma porcentagem de 1,5% sobre o faturamento de R$ 1,6 bilhão significaria algo em torno de R$ 24 milhões.

Nada impede, no entanto, que o plano decole agora, ainda mais em um momento de incerteza sobre a economia brasileira. Segundo o Banco Mundial, o PIB mexicano deve se manter em torno de 3,5% em 2015 e chegar a 4% em 2016.