Tallis Gomes, CEO da Easy Taxi. Foto: divulgação.

A startup carioca Easy Taxi, que desenvolveu um app que auxilia usuários a encontrar um táxi através de smartphone, recebeu do grupo de investimentos Rocket Internet, um aporte de R$ 10 milhões.

O investimento será utilizado para a expansão do aplicativo em todo o país, com melhorias na plataforma, reforçando a equipe e investindo em marketing.

O plano da startup é expandir a atuação da plataforma para dez capitais brasileiras.

O sistema opera atualmente na capital paulista, com cerca de 100 taxistas autônomos cadastrados. No Rio de Janeiro, onde foi implantado inicialmente, o Easy Taxi já conta com uma base de cerca de 400 taxistas e mais de 5 mil usuários.

O plano da empresa, conforme o CEO Tallis Gomes, é chegar a 2 mil associados até o final do ano, abrangendo 5% da frota de São Paulo.

A meta é encerrar 2012 com mil táxis e 10 mil clientes na cidade carioca. No Brasil, a expectativa é chegar a 50 mil usuários até o final deste ano.

Conforme a empresa, até o fim de 2013, a startup estima um incremento de 85% no faturamento com o aplicativo.

A receita da empresa vem de uma taxa de 2 reais cobrada a cada corrida que o taxista realizar através do app.

Criado em agosto do ano passado, o Easy Taxi tem versões do aplicativo em inglês e português. Até o final deste ano, a expectativa da empresa era de alcançar faturamento de 850 mil reais.

Por trás do negócio estavam os empreendedores Tallis Gomes, Daniel Cohen, Vinicius Gracia, Bernardo Bicalho e Marcio William. A startup venceu o concurso da aceleradora Startup Farm Rio 2011.

STARTUPS DE OLHO NOS TAXIS

Com o sucesso de aplicações como o Resolve Aí, muitas startups investiram no nicho de localização de taxis, através de sites e aplicativos para smartphone.

Além da Easy Taxi, a gaúcha Ayza Tecnologia é outra que tenta conquistar sua fatia no mercado.

Prestes a iniciar testes em cerca de 100 taxis em Porto Alegre, o Ayza Taxi Web oferece uma ferramenta de localização online para os usuários de taxi, assim como uma ferramenta de controle de corridas e movimento de passageiros para os frotistas.