Ernst & Young aumenta faturamento. Foto: divulgação.

A Ernst & Young - ou EY, como prefere ser chamada agora - registrou um faturamento global de US$ 25,8 bilhões no ano fiscal terminado em junho de 2013, um crescimento de 5,8% em relação ao mesmo período em 2012. Em meio aos números globais, o Brasil teve posição de destaque nessa evolução.

A divisão tupiniquim da empresa de consultoria apresentou um dos melhores resultados dentre os mais de 140 países onde a companhia atua. Com um avanço de 24%, a receita brasileira já ultrapassa R$1,1 bilhão. O percentual de aumento no faturamento brasileiro supera outros emergentes como China, Índia e Turquia.

De acordo com Jorge Menegassi, CEO da EY para Brasil e América do Sul, graças a forte contribuição do Brasil, a América do Sul é a região que mais cresce dentro da companhia nos últimos três anos.

“Desde 2010, estamos crescendo acima do mercado. Com isso, dobramos de tamanho no País, e agora, queremos repetir o feito nos próximos cinco anos”, afirma o executivo.

Em sua operação global, os números apresentados no recente ano fiscal indicam o maior crescimento da empresa desde 2008. Além da receita, a empresa também aumentou em número de funcionários. No ano, foram contratados 175 mil novos profissionais.

A meta é atingir US$ 50 bilhões de receita até 2020. Para isso, a companhia pretende investir US$ 1,6 bilhão para melhorias em metodologia de auditoria e tecnologia nos próximos três anos.

"Além disso, até o fim de junho de 2014, iremos contratar 55 mil pessoas, o que demonstra nossa confiança na economia global e em nossos profissionais”, revela Mark Weinberger, CEO global da EY.