Avaya mudou atuação em Brasília.

A Avaya decidiu fechar o seu escritório em Brasília, colocando os funcionários da operação para trabalhar em modo home office.

A informação é de fontes de mercado e foi confirmada pela Avaya. Em nota, a multinacional de soluções de comunicações unificadas colocou a decisão em termos de adoção de novos estilos de trabalho e não corte de custos. 

“Seguindo uma tendência de mercado na região, a Avaya decidiu tornar a operação em Brasília remota, com os colaboradores trabalhando em regime de home office”, explica a empresa. 

A Avaya agregou um comentário na linha “em casa de ferreiro, espeto de ferro”: 

“Com as nossas soluções de comunicação, permitimos que diversas empresas tenham a possibilidade de oferecer mais flexibilidade a seus funcionários, o que também é aplicado na própria Avaya sem alterar os resultados de negócios obtidos”, comenta a companhia.

Ainda de acordo com a Avaya, a empresa segue com as operações normais nos escritórios fixos localizados na matriz em São Paulo e em uma filial no Rio de Janeiro. Segundo a empresa, 45 trabalhadores trabalham de maneira remota no país.

Seja como for, chama atenção a decisão de fechar o escritório físico na capital do país, a partir da qual a multinacional atende o governo federal, um grande comprador de tecnologia.

Uma decisão similar foi tomada em junho em Porto Alegre, quando a Avaya cortou dois profissionais seus que atendiam o mercado local diretamente.

Essas decisões acontecem em paralelo com um processo de mudanças macro na empresa.

No final de novembro, o The Wall Street Journal revelou que a Avaya estava considerando vender sua unidade de software e entrar com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, dentro da regra conhecida como Chapter 11 por lá.

O problema da Avaya é uma dívida de longo prazo de cerca de US$ 6 bilhões. O negócio de software de call center pode ser vendido por até US$ 4 bilhões, aponta o prestigiado jornal de negócios americano. 

O dinheiro iria para pagar parte da dívida, enquanto credores trocariam seus débitos por participação em uma empresa reestrutura pós-concordata.

A empresa fechou o capital após ser comprada por US$ 8 bilhões pelos fundos de investimento Silver Lake e TPG em 2007. 

Desde então, a empresa tem visto quedas anuais na receita e nunca mais deu lucro, além de enfrentar problemas na concorrência com empresas como a Cisco.

Para o ano fiscal de 2015, a Avaya reportou uma receita de US$ 4 bilhões, uma queda de 7% em relação ao faturamento alcançado em 2014.