Fábio Rodas Blanco e Bruna Vaz Negrão, fundadores da Shopper. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Shopper, e-commerce especializado em produtos de supermercado, recebeu um aporte de R$ 170 milhões em rodada série C liderada pelo GIC, fundo soberano de Singapura e investidor de empresas como Nubank, Sankhya, Hotmart, VR Benefícios e Warren. 

Também participaram da rodada investidores como a Quartz, de José Galló, chairman da Renner, a Minerva Foods, o multifamily office Oikos e o fundo Floating Point.

A startup foi fundada em 2015 após Bruna Vaz Negrão e Fábio Rodas Blanco se inspirarem no modelo Subscribe & Save, criado pela Amazon nos Estados Unidos.

Na prática, o consumidor monta sua cesta, seleciona o dia de entrega e finaliza sua compra. A lista fica salva no site ou aplicativo e a entrega fica automaticamente pré-agendada para todos os meses.

Depois, o cliente recebe lembretes mensalmente caso queira alterar sua lista ou data antes das próximas entregas.

Os itens vendidos são de consumo doméstico, como produtos de limpeza, higiene pessoal, alimentos, bebidas, utilidades e produtos para pets. Como a Shopper não tem lojas físicas, eles são comprados diretamente dos fabricantes após a confirmação do pedido, mantendo um baixo nível de estoque.

Com esse modelo, a empresa afirma que não há custo com a manutenção de grandes estoques, com perdas de produtos por validade e com grandes áreas de armazenamento, além de não haver despesas com lojas físicas.

A logística é toda feita pela Shopper, desde a compra com os fabricantes até a operação do centro de distribuição e entregas. 

Desta forma, a proposta é que os clientes economizem, em média, 10% em relação a supermercados tradicionais com vendas on-line.

No início, apenas Fábio e Bruna panfletavam, faziam as compras para os clientes, montavam os pedidos e faziam as entregas. Em Janeiro de 2016, eles conseguiram um aporte de R$ 120 mil para as primeiras contratações.

Em novembro do mesmo ano, a empresa captou R$ 450 mil de investidores-anjo e outras rodadas menores foram levantadas em 2017 e 2018. Em 2019, a Shopper recebeu R$ 10 milhões de investidores e, em maio deste ano, R$ 120 milhões.

Com o valor arrecadado há cerca de seis meses, a companhia lançou uma nova frente de negócio, a compra programada Fresh, com entrega semanal de frutas, verduras, legumes e produtos refrigerados.

Além disso, neutralizou a emissão de carbono de toda a operação e contratou Ramatis Rodrigues (ex-CEO da Via Varejo e ex-VP do Pão de Açúcar) como seu VP comercial.

A companhia ainda inaugurou um novo centro de distribuição em Osasco, São Paulo, e chegou a 75 municípios do estado, superando a meta do começo deste ano, de 60 cidades. 

“Em 2021 captamos mais de 30 vezes o que captamos nos primeiros cinco anos de Shopper. Isso mostra que estamos no caminho certo, além de demonstrar a consolidação do nosso modelo de negócios e do que levamos para o dia a dia de muitas famílias”, afirma Fábio Rodas, CEO da startup.

Com o novo aporte, a empresa pretende impulsionar sua expansão para mais cidades paulistas, viabilizar a chegada ao Rio de Janeiro, realizar novas aquisições, reforçar o investimento em tecnologia e investir em captação de talentos.

Hoje são mais de 1 mil colaboradores e a ideia é triplicar esse número até o final de 2022. Além disso, são mais de 500 mil pessoas cadastradas na plataforma, número que deve ultrapassar 1 milhão até outubro do ano que vem.