Romero Rodrigues. Foto: divulgação.

O Buscapé está se preparando para assumir a operação mundial de comparação de preços para o grupo sul-africano Naspers, assumindo doze sites na Europa e África e levando os sites Buscapé e Bondfaro para um público maior.

Fundado em 1999 no Brasil e atualmente com abrangência em diversos países da América Latina, agora a empresa de Romero Rodrigues se prepara para assumir uma operação global. A mudança é resultado da compra de 91% do Buscapé pela Naspers, negócio fechado em 2009 por US$ 342 milhões.

Segundo informa o Valor, a companhia ampliará o seu número de funcionários, passando de 1,4 mil para 1,7 mil. Na parte de acessos, a expectativa é que o fluxo quadruplique, atingindo 120 milhões de pessoas.

A partir da mudança na estrutura dos negócios, o Buscapé Company se transforma em uma holding global composta por 15 comparadores de preços que faziam parte da Naspers: Buscapé (América Latina), Ceneo (Polônia), Heureka (República Tcheca e Eslováquia), Vcene (Ucrânia) Ucuzu (Turquia), Arukereso (Hungria), Compari (Romênia), Pazaruvaj (Bulgária), Shoppydoo, Trovaprezzi, Drezzi e Misshobby (Itália), Shoppydoo (Espanha), e Pricecheck (África do Sul e Nigéria).

A operação internacional do Buscapé ficará sob o comando de Rodrigues, que agora é presidente global de comparação de preços do Buscapé Company.

Rodrigo Borer, ex-VP de comparação de preços, agora será o responsável pelos negócios no Brasil e na América Latina. Mais três executivos vão comandar os negócios nas outras regiões.

Conforme explicou Rodrigues, as diferentes operações terão suas estruturas integradas em algumas instâncias, eliminando sobreposições em áreas como finanças e tecnologia.

No entanto, as operações de cada site serão independentes, respeitando peculiaridades no comércio de cada região.

Com a mudança, Rodrigues estima que a área de mobilidade seja beneficiada. Por exemplo, o executivo frisa que o principal meio de acesso à web na África é via smartphones.

"Certamente temos muito a aprender lá para levar ao Leste Europeu, ou trazer para o Brasil, onde o uso é menor", disse o executivo ao jornal.

Embora tenha começado como um comparador de preços, o Buscapé atualmente conta com 18 negócios, em diversas áreas do comércio eletrônico, de fretes até pagamento digital.

De acordo com o Rodrigues, o crescimento anual da companhia tem sido o dobro do avanço do mercado de comércio eletrônico no país, na casa 20%, segundo informações da e-bit. De acordo com analistas de mercado, o faturamento anual do Buscapé está na faixa de R$ 300 milhões.