SEGURANÇA

CyberLabs e PSafe anunciam fusão

16/02/2021 06:51

Empresas tem expertises complementares. Meta é faturar R$ 100 milhões em 2021.

CyberLabs e Psafe são empresas diferentes, mas complementares. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

CyberLabs e PSafe, duas empresas brasileiras em alta no segmento de segurança digital, anunciaram uma fusão nesta segunda-feira, 15.

As empresas não revelaram em que termos se dá a fusão, apenas que o negócio teve um “apoio” do fundo Redpoint Eventures, que já havia investido nas duas companhias nos últimos anos.

O aporte na CyberLabs foi de R$ 28 milhões, em agosto de 2020, e o da Psafe de US$ 30 milhões, em 2015. Nos dois casos, a Redpoint liderou grupos de investidores.

Pela conformação da nova empresa, parece que a CyberLabs é a maior parte do novo empreendimento: a nova empresa vai se chamar Grupo CyberLabs e o CEO será Marcelo Sales, que liderava a Cyberlabs. Marco DeMello, da Pfsafe, será o presidente.

Juntas, as duas empresas tem 150 engenheiros, 6 milhões de usuários na ponta e projetam R$ 100 milhões em faturamento em 2021.

O portfólio é complementar. A CyberLabs é forte no uso de inteligência artificial para reconhecimento facial. Já Psafe a tem uma solução de segurança digital com maior presença entre usuários finais.

A Psafe ganhou grande notoriedade recentemente, quando o seu time focado em segurança para usuários corporativos descobriu um grande vazamento de dados de brasileiros.

Com 223 milhões de informações pessoais, incluindo CPFs, dados de veículos e informações pessoais, o vazamento é tido como o maior da história no país, e ainda não está totalmente esclarecido.

Em nota, as empresas destacam que entre os objetivos da fusão está expandir sua presença no segmento B2B, em especial entre pequenas e médias empresas.

“Estamos vivendo uma pandemia digital e pelo fato das pequenas e médias empresas não terem estruturas nem recursos suficientes, cada colaborador remoto se transforma em um ponto a mais de vulnerabilidade”, afirma  Marcelo Sales, CEO do Grupo. 

Além da fragilidade das empresas, agravada pela expansão do home office, as empresas também contam com a influência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que estabelece regras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais.

A LGPD prevê multas de até 2% do faturamento bruto anual, podendo chegar a um máximo de R$ 50 milhões.

Veja também

OMNICHANNEL
Bornlogic recebe aporte de R$ 8 milhões

Investimento seed veio da Astella. Startup descentraliza o marketing digital de grandes varejistas.

ENERGIA
Copel confirma ter sofrido ataque cibernético

Autoria foi assumida por grupo conhecido como Darkside, que opera um sistema de “ransomware como serviço”.

ENTÃO TÁ
Dataprev: está tudo certo, mas o responsável foi demitido

No mesmo dia em que divulga que não houve invasão, estatal demite o responsável pela segurança.

VAZAMENTO
Dados da Dataprev vazaram?

Banco de dados obtidos pelo cibercriminoso contém tabela com 270 milhões de registros.

COMPLIANCE
South System: segurança com Netfive

Empresa atende grandes organizações do setor financeiro, com regras rígidas.

EQUIPE
É hora de dimensionar seu time de segurança

Ataques cibernéticos estão explodindo. O time da sua empresa está bem dimensionado?

CONTRATAÇÃO
Ypê tem novo head de segurança da informação

Paulo Yukio Watanabe Junior já atuou em empresas como Boa Vista SCPC, Ambev e Braskem.

REPAGINADA
Soprano investe R$ 4 milhões em infra e segurança

Projetos realizados em 2020 incluíram soluções da Pure Storage, Dell e Veeam.

CONTRATAÇÃO
Andréa Thomé assume cibersegurança da Everis

Na nova empresa, a executiva terá o desafio de estruturar a área no Brasil.

SEGURANÇA
Oito passos para os CISOs se alinharem ao negócio

Profissionais se focam no significado técnico das métricas de risco, o que é um problema na conversa.

PRÊMIO
Brasileiros vencem concurso global de cibersegurança

Paulo e Pedro Fabri ganharam US$ 10 mil com jogo voltado à conscientização dos usuários.

CONTROLE
XMobots: segurança na TI com BluePex

Companhia brasileira de drones monitora rede e controla ativos com solução.

COMPRAS
Tivit compra startup de segurança

Privally foi a primeira aquisição do Tivit Ventures. Outras 10 ainda devem vir em breve.

INDÚSTRIA
Novelis usa robôs para controle de segurança

Projeto realizado pela Engineering aplica IoT para medir a temperatura de bobinas.