Baguete
InícioNotícias> Totvs quase parando

Tamanho da fonte:-A+A

ERP

Totvs quase parando

Maurício Renner
// quarta, 16/03/2016 20:15

A Totvs fechou o ano passado com uma receita líquida de R$ 2,2 bilhões, uma alta de 3% frente aos resultados de 2014.

Laércio Cosentino, CEO e fundador da Totvs.

Esse é o primeiro balanço divulgado pela Totvs após a reorganização societária com a Bematech, concluída em outubro passado. Os dados combinam os números das duas companhias correspondentes aos 12 meses dos anos de 2015 e 2014.

O lucro líquido ajustado pró-forma de 2015 totalizou R$283,1 milhões, redução de 10% frente a 2014. O EBITDA ajustado pró-forma de 2015 das duas empresas atingiu R$ 456,9 milhões, redução de 13% frente a 2014.

A Totvs destacou que o EBITDA sofreu impactos não recorrentes de R$ 85,4 milhões relacionados, principalmente, a custos adicionais com a reorganização societária com a Bematech, redução de headcount e acréscimo de provisão para contingências. 

Em nota, a gigante brasileira de sistemas de gestão não deu detalhes sobre as demissões, mas em janeiro a reportagem do Baguete revelou em primeira mão que a companhia havia fechado 2015 fazendo 120 cortes em São Paulo, 5% da sua força de trabalho no estado.

Os resultados significam um incremento em relação aos números do segundo trimestre, quando a Totvs divulgou cifras de 2,7% no aumento do faturamento e queda de 5,6% no lucro líquido em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O resultado de receita líquida representa uma piora se comparado ao desempenho dos últimos anos: a Totvs cresceu 10% em 2014 e 14% em 2013. Nos cinco anos anteriores, a média havia sido na casa dos 13%.

Na sua divulgação de resultados, a Totvs frisou o avanço da a transição para o modelo de subscrição de software, que cresceu 21%, representando 10% da receita total de software, frente aos 8% registrado em 2014.

Esse crescimento foi impactado pela maior participação das vendas a clientes de médio e pequeno portes, especialmente na modalidade Totvs Intera, no qual o cliente define e gerencia quantas identidades estarão habilitadas a ter acesso a todos os softwares de gestão, produtividade e colaboração da empresa em alguma nuvem homologada pela companhia. 

A Totvs frisou ainda o poderio da presença de mercado combinada com a Bematech, resultado de um negócio de R$ 550 milhões fechado em agosto. De acordo, com a companhia, a fusão tornou a organização o maior provedor de soluções de negócio para varejo do Brasil. 

Esse segmento atingiu R$ 535,3 milhões de faturamento, passando a representar 24% da receita total pró-forma, resultado que fez com que esse segmento se igualasse ao de manufatura, tradicionalmente o mais representativo nos últimos anos. Sem a Bematech, o segmento de Varejo da Totvs cresceu 25% em 2015.

O setor de Serviços também foi impactado com a chegada da Bematech, em especial pela atuação em hotéis e transporte de passageiros, fazendo com que o segmento passasse a representar 15% da receita em 2015. Distribuição/Logística e Financial Services registraram crescimento de 7% e 8%, respectivamente. 

"Em 2015, a agenda positiva dos anos anteriores teve que ser reprogramada para que fosse possível viver o atual momento sem desistir da grande oportunidade de negócios, ainda presente no Brasil”, comenta Laércio Cosentino, CEO da Totvs. “Mantivemos investimentos em tecnologia, sistemas e clientes de forma seletiva, em especial no último trimestre, com objetivo de entrar em 2016 com força total”, agrega Cosentino.

Que o ano passado foi ruim ninguém discute, mas parte dos problemas da Totvs foram criados pela própria companhia, incluindo um processo de transição de comando mal sucedido.

Em julho do ano passado, a empresa anunciou que Rodrigo Kede, ex-presidente da IBM no Brasil, para dividir o comando da Totvs com Cosentino por um período de transição de três anos, após o qual o executivo tomaria as rédeas de companhia. Menos de um ano depois, Kede estava de volta na IBM.

Maurício Renner