A prefeitura de Campinas assinou um acordo com o CPqD e a Huawei. Foto: Carlos Bassan.

A prefeitura de Campinas oficializou na quinta-feira, 15/3, um Memorando de Entendimento com o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e a empresa chinesa Huawei para colaboração em pesquisa e experimentação de soluções de tecnologia da informação e comunicação (TIC) aplicadas à segurança pública.

O projeto-piloto será desenvolvido em conjunto com a Secretaria Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, por meio da Central Integrada de Monitoramento de Campinas (Cimcamp) e da Informática de Municípios Associadas (IMA).

Pelo Memorando, Campinas disponibilizará o ambiente urbano para abrigar o projeto de pesquisa. 

A escolha da cidade é decorrente do porte e importância econômica adequados para testes de soluções avançadas de segurança pública. O objetivo da iniciativa é ampliar a capacidade de monitoramento por meio de câmeras e sistemas inteligentes.

Inicialmente, pelo menos 30 câmeras inteligentes serão disponibilizadas pela Huawei e integradas à Cimcamp. A IMA e o CPqD vão customizar o sistema oferecido pela empresa para adaptá-lo às necessidades de Campinas.

“Nós vamos ter a Huawei nos ajudando com sua experiência já aplicada em outras cidades em escala internacional. Nós já temos um programa, o Campinas Bem Segura, com câmeras inteligentes, e ela vai nos ajudar oferecendo uma quantidade maior de equipamentos e também a sua experiência e tecnologia na área de segurança. A parceria vai permitir a customização daquilo que Campinas precisa”, avalia o prefeito Jonas Donizette.

O acordo é mais um movimento da Huawei para aumentar sua presença em projetos de cidades inteligentes no Brasil. 

“Estamos muito felizes em participar deste projeto com o CPqD e a Prefeitura de Campinas, que se mostra na vanguarda da inovação entre os municípios brasileiros. Com a experiência acumulada em projetos de inovação em mais de 170 países, a Huawei entende que a segurança pública é uma prerrogativa para a criação de novos projetos de cidades inteligentes”, destaca o líder da empresa no Brasil, Yao Wei.

Em fevereiro, a empresa renovou um convênio com PUC-RS, expandindo a atuação do Smart City Innovation Center PUC-RS Huawei, inaugurado em 2016, para a área de ensino. 

O objetivo é atuar na formação de pessoas para planejar, desenvolver e implantar projetos que utilizem o conceito de internet das coisas (IoT). Com a expansão do convênio, a PUC-RS passa a oferecer um curso de extensão em IoT com certificação Huawei. 

Até 2019, a Huawei projeta capacitar 40 mil pessoas em todo o Brasil. Uma das estratégias para alcançar essa meta é a aproximação com as universidades e com lideranças governamentais. 

Outra ação recente aconteceu no final de 2017, quando a Huawei assinou um memorando de entendimento com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para promover a colaboração estratégica entre o governo federal e a empresa chinesa em programas inovadores de cooperação técnica e pesquisa e desenvolvimento para serviços de telecomunicações e tecnologias da informação e comunicação (TICs).