Rio de Janeiro agora tem 4G da Claro. Foto: divulgação.

Pelo menos nas sedes da Copa das Confederações, a corrida das operadoras pelo 4G já tem uma vencedora. A Claro anunciou nesta terça-feira o início de suas operações de internet móvel de quarta geração nas cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador.

As novas cidades cobertas pelo sinal chegam para fazer parceria a Recife, também sede do evento esportivo, Porto Alegre, Curitiba, Paraty, Búzios e Campos do Jordão.

Os primeiros modelos oferecidos com o novo serviço são os mesmos apresentados no lançamento em Porto Alegre: o smartphone Motorola Razr HD e o modem Huawei E392.

O anúncio da operadora chega a tempo de cumprir a determinação da Anatel, que estabeleceu até maio o início das operações 4G nas sedes da Copa das Confederações.

Concorrente direta da Claro e líder do mercado móvel no país com 39,7%, a Vivo divulgou nesta segunda, 15, que fará o seu anúncio oficial do lançamento de seu serviço 4G no país no dia 30 de abril.

A Oi informou nesta terça-feira, 16, que anunciará “na semana que vem” sua estratégia para 4G, com o lançamento previsto para o Dia das Mães.

De acordo com a operadora, as antenas necessárias para a cobertura inicial exigida pelo edital do 4G estão em fase final de instalação pela Oi nas seis cidades-sede da Copa das Confederações.

Já a TIM , que também adquiriu bandas 4G no leilão promovido pela Anatel em junho do ano passado, ainda não anunciou seus datas para o lançamento da nova tecnologia, apenas um acordo de compartilhamento de infra com  Oi.

NOS ESTÁDIOS
Além do serviço comum 4G que é esperado pela Anatel, as operadoras estão se agilizando aos 45 do segundo tempo para garantir serviços de internet móvel - 3G e 4G - na Copa das Confederações.

As companhias firmaram na semana passada um acordo com as administrações dos seis estádios que receberão os jogos da competição preliminar da Copa do Mundo para oferecer cobertura 4G indoor nos locais.

Os equipamentos das prestadoras ficarão instalados em uma sala de aproximadamente 200 metros quadrados, no subsolo dos estádios, por exemplo, e dali partirá uma rede compartilhada de fibra óptica que atenderá aos clientes de cinco prestadoras de serviços de telefonia móvel.

Faz parte ainda do projeto de infraestrutura a instalação de antenas em pontos estratégicos do estádio, permitindo uma cobertura total do ambiente.