Gustavo Herique Henkel, diretor da TI Sul.

A TI Sul, empresa gaúcha especializada em softwares de controles de ponto e de acesso, está fazendo negócios no embalo da ampliação do controles sobre os funcionários públicos no Brasil.

No ano passado, órgãos públicos como TSE-DF, INPI e Finep começaram a usar as soluções da companhia embarcada em diferentes sistemas de controles vendidos pela parceira Advanced.

Juntos, os clientes tem cerca de 3 mil funcionários.

“O que nós fazemos é combinar a solução de controle de ponto com o controle de acesso, cruzando os dados e dificultando fraudes”, afirma Gustavo Herique Henkel, diretor da TI Sul.

A combinação é necessária, como mostram notícias recentes. Em março, uma médica foi flagrada usando dedos de silicone para marcar o ponto biométrico para os colegas no Samu de Ferraz de Vasconcelos, uma cidade no interior mineiro.

Caso os dados do sistema de CFTV do local fossem cruzados com o ponto, seria possível identificar se as pessoas que tiveram o ponto marcado realmente estavam lá.