Indústria de painéis fotovoltaicos. Foto: flickr.com/photos/utopiasparacaminar

A Aider Telecom apresentou ao governo do Paraná nesta terça-feira, 15, um projeto de instalação de uma indústria no estado. A empresa busca soluções tecnológicas e trabalha com painéis fotovoltaicos (solares), lâmpadas de led e medidores digitais inteligentes (smart grids). 

A empresa planeja investir R$ 26,4 milhões na construção da unidade que deve gerar mil empregos diretos e indiretos em cinco anos.

Fundada em 2009, a empresa já criou projetos para clientes como Grupo Votorantim, Prefeitura Municipal de Itápolis (SP) a Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Norte.

"Há um grande potencial para crescimento e temos o total interesse de instalar a indústria no Paraná", adiantou Anderson de Santana. 

O mercado de energia solar deve crescer nos próximos anos no Brasil, pois o país apresenta condições favoráveis.

Segundo o Atlas de Irradiação Solar no Brasil, diariamente incidem entre 4500 Wh/m2 a 6300 Wh/m2 no país. Como base de comparação, o lugar mais ensolarado da Alemanha recebe 40% menos radiação solar que o lugar menos ensolarado do Brasil.

Santana explicou ainda que a Aider possui acordos com parceiros na China e em Taiwan para trazer a tecnologia asiática à unidade brasileira. 

"Vamos oferecer produtos inovadores que visam mais eficiência e racionalização do consumo energético", disse o executivo. 

Monteschio detalhou aos executivos a política de industrialização do Estado e os benefícios do programa Paraná Competitivo, que deve confirmar até o fim do ano mais de R$ 30 bilhões em novos investimentos no Estado. 

"A área de tecnologia e inovação está entre as nossas prioridades. O Paraná dará todo o suporte para consolidarmos o empreendimento", disse. 

Os custos logísticos e a necessidade de mão de obra qualificada devem ser os principais fatores da escolha da localização da unidade. Municípios da Região Metropolitana de Curitiba, pela proximidade do Porto de Paranaguá, e do Sudoeste, devido aos centros de tecnologia, surgiram como possíveis locais da indústria.