Tamanho da fonte: -A+A

Ao lado da Colômbia, o Brasil é o país com a menor taxa de pirataria de software da América Latina: 53%.

A constatação é de uma pesquisa da Business Software Alliance (BSA).

O índice atual representa uma queda de 11 pontos percentuais na comparação com seis anos atrás, mas ainda é maior que a média global, de 42%.

Conforme os cálculos da BSA, a cada cem programas adquiridos ou baixados em território nacional, 53 são obtidos ilegalmente.

O estudo conclui 46% dos usuários brasileiros de computadores consomem softwares piratas.

“Um dos motivos para a queda não ser maior é a propagação da internet no país. No entanto, desde 2007 o desempenho tem sido muito bom”, avalia Frank Caramuru, diretor da BSA no Brasil

A BSA atribui a queda ao aumento nas vendas de computadores que vêm com softwares pré-instalados.

Outro fator é o crescimento do segmento de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, que já vêm com o sistema operacional.

Quanto ao faturamento, o software licenciado também perde para os ilegais, com arrecadação de US$ 2,53 bilhões em 2011, ante US$ 2,84 bilhões dos piratas.

Conforme a associação, o montante calculado para o software pirata não considera o quanto de dinheiro ele gerou, mas quanto a indústria deixou de ganhar por causa dele.