FIESC

Investimento industrial vai gerar 12 mil empregos em SC

16/07/2012 10:08

Tamanho da fonte: -A+A

Os investimentos de cerca de R$ 3,6 bilhões previstos pela indústria catarinense para o triênio 2012-2014 vão gerar 17 mil empregos, dos quais 12 mil serão no próprio estado e sete mil fora dele.

O dado é da publicação Desempenho e Perspectivas da Indústria Catarinense, divulgado pela Fiesc com apoio do BRDE.

Conforme o estudo, o maior número de postos de trabalho será gerado pelo setor de máquinas, aparelhos e materiais elétricos.

Já os setores industriais catarinenses que preveem mais investimentos nos próximos três anos são: alimentos; celulose e papel; máquinas, aparelhos e materiais elétricos e metalurgia.

Os recursos serão aplicados na aquisição de máquinas e equipamentos, na atualização tecnológica (modernização), na ampliação da capacidade produtiva e na melhoria da qualidade dos produtos.

Na avaliação do presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, o valor de investimentos previstos, quando se concretizar, será maior do que o inicialmente anunciado, pois quando o levantamento foi realizado muitas empresas ainda não tinham programado os valores para 2013 e 2014.

“Apesar da conjuntura de crise e de baixo crescimento do PIB, o industrial do estado mantém os investimentos como sinal de confiança na economia”, afirma Côrte. “Os investimentos gerarão empregos que vão irrigar a economia, permitindo crescimento sustentável”, reforça.

Ainda de acordo com o estudo, as principais fontes dos recursos para os novos investimentos serão: 39% de capital próprio; 33% de bancos de fomento; 13% de bancos privados nacionais e 10% bancos de fomento via bancos privados nacionais.

A pesquisa destaca, ainda, a intenção das indústrias em aumentar a captação em bancos de fomento.

Em 2011 as empresas captaram, nestas instituições, 19% dos recursos. Agora preveem captar 33%.

Para 2012, a previsão de investimentos industriais é 15% maior do que foi realizado em 2011, totalizando R$ 1,99 bilhão. Em Santa Catarina, ficarão 80% dos aportes.

O levantamento foi realizado com 126 indústrias e mostra que a proporção de companhias que investiu no ano passado (78%) foi menor que os 83% registrados em 2010.

No entanto, o valor investido em 2011, R$ 1,72 bilhão, foi 27% maior que o realizado em 2010 (R$ 1,35 bilhão).

O trabalho Desempenho e Perspectivas é realizado desde 2000 e está na 12ª edição.

A publicação é dividida em dois capítulos: um trata dos investimentos da indústria até 2014 e o outro faz um panorama da economia em 2011 e traz as perspectivas para 2012. A coleta dos dados foi realizada de fevereiro a abril de 2012.
 

Veja também

TIC EM SC
Fiesc quer agilidade na Lei da Informática

Em ofício ao ministro da Tecnologia, a entidade destaca que o prazo para a obtenção dos incentivos já passa de 360 dias.

Fiesc: 101 só fica pronta depois de 2016

Na melhor das hipóteses, as obras de duplicação da BR 101 em Santa Catarina ficarão prontas no  primeiro trimestre de 2016.

É o que aponta um levantamento da Fiesc divulgado nesta segunda-feira, 20.

Fiesc: Santa Catarina no mercado africano

A Fiesc realiza um seminário sobre as oportunidades de Santa Catarina nos países africanos, na quinta-feira, 26, das 13h30 às 16h15, em Florianópolis.

Durante o evento, especialistas da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) vão apresentar estudos que mostram os setores que tem mais oportunidades e estratégias de ingresso na África do Sul, Angola e Moçambique.

CRÍTICAS NA FIESC
Barros: tributos destruirão indústria

Ex-presidente do BNDES, Luiz Carlos Mendonça de Barros, criticou duramente o sistema tributário brasileiro em seminário na Fiesc.

PLANO BRASIL MAIOR 2
Ampliada desoneração da TI

Governo amplia desoneração da folha de pagamentos de TI. Alíquota cai de 2,5% para 2%.

DOS STATES
SC tem educação executiva com Duke

O Instituto Euvaldo Lodi (IEL Nacional) firmou parceria com a escola de negócios norte-americana Duke Corporate Education para um Programa Internacional de Educação Executiva.

Figueirense quer R$ 300 mi para Arena

Apesar de não estar numa das cidades sede da Copa do Mundo, o Figueirense entrou no embalo das reformas nos estádios brasileiros, com uma arena orçada em R$ 300 milhões.

O projeto, que prevê capacidade para 25 mil torcedores, foi apresentado na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), após quase dois anos de estudo pelo clube e pela Alliance, parceira do Figurira.

Agora, o clube parte à procura de investidores.

Inscrições abertas para programa IEL e HSM

As inscrições para o Programa de Desenvolvimento Empresarial IEL e HSM Educação, que qualifica gestores em Santa Catarina, estão abertas até 15 de março.