Máquinas da Subsin podem estar aí embaixo agora. Foto: flickr.com/photos/wili/

A Subsin, empresa de tecnologia e consultoria em engenharia submarina, usa CAD da Dassault Systèmes SolidWorks para realizar seus projetos para clientes como Petrobras, OGX e Weatherford.

"O SolidWorks é uma ferramenta para projeto mecânico reconhecida no mercado mundial e que possui uso intensivo na indústria de óleo e gás. Esse foi o principal motivo para escolha dessa solução, pois a maioria de nossos clientes utilizam essa tecnologia", diz o engenheiro Melquisedec Santos, CEO e presidente da Subsin.

Santos fundou a empresa junto com sócios há cinco anos e já recebeu um investimento da Criatec, fundo de capital semente do BNDES.

A companhia tem uma expectativa de investimento de R$ 10 milhões nos próximos anos, de acordo com matéria do Valor Econômico.

Em setembro do ano passado, a Subsin tinha R$ 4,4 milhões em encomendas do setor petróleo e tem a meta de alcançar R$ 53 milhões em contratos do setor.

A previsão era encerrar 2012 com faturamento de R$ 6 milhões, contra R$ 1,4 milhão obtido no ano passado.

A Subsin atua na análise da integridade de estrutura submarinas, principalmente tubulações. O trabalho consiste em ações de monitoramento da qualidade dos equipamentos. Para isso, a empresa conta com robôs desenvolvidos por ela própria para fazer a inspeção dos tubos.