Portugal Telecom leva calote. Foto: divulgação.

A Portugal Telecom (PT)confirmou nesta quarta-feira, 17, que levou um calote de aproximadamente € 900 milhões de um investimento feito na Rioforte, holding do grupo Espírito Santo. Com isso, os acionistas da brasileira Oi aceitaram um acordo em que a operadora portuguesa reduz temporariamente sua participação na CorpCo, empresa resultante da fusão das duas companhias de telecomunicações.

Segundo destaca a Reuters, o acordo acorreu mesmo com as críticas da administração da Oi e do BNDES, que entraram na discussão para se informar mais sobre o rombo na PT, em uma operação que não chegou a ser informada aos brasileiros.

Com a mudança, a Portugal Telecom reduzirá sua participação na CorpCo de 38% para 25,6%. O novo acordo também tira o risco de crédito dos empréstimos da Rioforte, e os colocam novamente com a Portugal Telecom.

"A Portugal Telecom vai ficar com todo o risco relaciodo à dívida da Rioforte e os acionistas da Oi serão protegidos. Nesse sentido, acreditamos que este acordo é mais benéfico para os investidores da Oi que para os da Portugal Telecom", afirmaram analistas do Itaú BBA em nota a clientes.

Segundo o novo contrato, à medida que a Rioforte colocar em dia a sua dívida, a empresa portuguesa poderá elevar sua fatia na empresa, em "opção" para comprar de volta as ações da Oi em seis anos

"Em uma nova companhia que foi criada com o intuito específico de melhorar a governança corporativa e utilizar as melhores práticas de suas empresas controladoras, os passos iniciais não foram os mais positivos", afirmaram em relatório analistas do Citi.

O novo memorando de entendimentos terá de ser aprovado por assembleia geral de acionistas da Portugal Telecom, pelo Conselho de Administração da Oi e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As empresas afirmaram em comunicado que se "mantêm comprometidas" com a conclusão da combinação de seus negócios. Porém, as companhias que antes esperavam uma conclusão da fusão em outubro acenam com a possibilidade de ampliar o prazo, mas não informaram detalhes.