Serviço começará por oito capitais brasileiras. Foto: divulgação.

A Vivo anunciou o lançamento de sua rede 5G DSS no Brasil, que deve acontecer até o final de julho em oito capitais brasileiras: São Paulo, Salvador, Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Goiânia, Curitiba e Belo Horizonte.

De acordo com o site Teletime, a empresa vai começar o serviço com o smartphone Motorola Edge e nos próximos meses, deve ampliar a oferta com pelo menos mais dois modelos Samsung.

A tecnologia será a mesma anunciada recentemente pela Oi e pela TIM, a Dynamic Spectrum Sharing (DSS), uma espécie de prévia do que a verdadeira conexão móvel de quinta geração poderá fornecer para os usuários brasileiros no futuro.

Isso significa que o serviço vai utilizar frequências já utilizadas pela operadora na oferta das gerações 3G e 4G do serviço móvel, distribuindo recursos dinamicamente entre os smartphones atuais e os novos, que sejam compatíveis com a nova rede.

“São frequências baixas, que não são as ideais. Vamos começar a provar para ver se funcionam, talvez não com a mesma latência [prevista para o novo padrão], mas com a velocidade nessas capitais”, contou Christian Gebara, CEO da Vivo, em um evento promovido pela consultoria Everis.

Segundo a operadora, as frequências mais altas são necessárias para uma experiência mais plena. Elas devem ser leiloadas no ano que vem e, só a partir deste momento, que a “real experiência 5G” será possível.

A disponibilidade de aparelhos compatíveis com o 5G ainda é um gargalo para a empresa, considerando que a oferta é muito limitada e possui preços elevados.

“Precisamos de pessoas com aparelhos, não adianta ter 5G pouco acessível ou não disponível. Estamos nos preparando para essa corrida, mas não podemos esquecer que o Brasil tem uma porcentagem elevada de pessoas que ainda não têm aparelho 4G”, acrescentou Gebara.

Outro ponto citado pelo executivo foi a necessidade de harmonização de legislações municipais para instalação de antenas, uma vez que o padrão de quinta geração exigirá um adensamento muito maior da infraestrutura.

A primeira operadora a anunciar a rede 5G DSS no Brasil foi a Claro, no início deste mês, e a empresa deve disponibilizar o serviço inicialmente em regiões das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, em conjunto com Motorola, Ericsson e Qualcomm.

Cerca de uma semana depois, a TIM anunciou o lançamento do serviço para o mês de setembro, tendo as empresas Ericsson, Huawei e Nokia como fornecedoras em três cidades do país.

Os municípios escolhidos foram Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, Itajubá, em Minas Gerais, e Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul - três cidades com uma população estimada semelhante, cerca de 96 mil habitantes.

Ainda de acordo com a publicação, a Oi também sinalizou que pode lançar o 5G antes do leilão, sem dar mais detalhes por enquanto.