David Cote, CEO da Honeywell. Foto: Divulgação.

A Honeywell está próxima de firmar um acordo para adquirir a JDA Software, fabricante de software para gerenciamento de cadeias de suprimentos. A fornecedora de soluções de TI americana fez uma oferta de cerca de US$ 3 bilhões para a JDA, já incluindo a dívida da empresa.

Uma fonte do Wall Street Journal esperava que o negócio fosse oficializado ainda na segunda-feira, mas as empresas não fizeram comentários sobre a transação ao jornal.

Para a publicação, a compra contribuiria para a transformação da Honeywell em uma empresa de software.

Segundo o CEO da companhia, David Cote, hoje cerca da metade dos 23 mil engenheiros da empresa estão voltadas exclusivamente para o trabalho com software, em vez de trabalharem apenas em projetos de bens pesados como motores a jato e sistemas de controle, áreas pelas quais a empresa é mais conhecida.

A JDA desenvolve um software utilizado por centenas de varejistas com o objetivo de otimizar suas cadeias de abastecimento e merchandising, entre eles a rede americana Walgreens e a varejista de autopeças Advance Auto Parts. A empresa também fornece software de gestão de armazéns para fabricantes de produtos de consumo. 

O sócio majoritário da JDA é o fundo de private equity New Mountain Capital, que adquiriu a fabricante de software por US$ 1,9 bilhão em 2012 e a fundiu com a rival RedPrairie. 

Em março, a agência de classificação de riscos Moody's rebaixou o rating da JDA em mais de US$ 2 bilhões, citando o risco de comprometimento de capital próprio sem uma injeção de recursos ou redução da dívida.

A Honeywell, assim como a General Electric, sua principal concorrente, está apostando que o desenvolvimento de software para gerenciamento e controle de máquinas pesadas vai ajudar a aumentar as receitas com serviços aos clientes no longo prazo.

Um sinal claro desse movimento foi a aquisição da Intelligrated, em julho, por US$ 1,5 bilhão. A empresa é uma fabricante de sistemas de automação para armazéns e cadeias de abastecimento.