TELECOM

T-Mobile: dados de 100 mi podem ter vazado

16/08/2021 10:26

Empresa de telefonia móvel é alemã, mas tem forte subsidiária nos Estados Unidos.

Entre os dados, estariam detalhes como números de previdência social e carteiras de motorista. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A T-Mobile, empresa alemã de telefonia móvel com forte atuação nos Estados Unidos, está investigando uma suposta violação massiva de dados da companhia — após um cibercriminoso anunciar a venda de informações em um post de fórum clandestino.

Segundo o site Business Insider, o vazamento teria afetado 100 milhões de usuários e a postagem oferece “informações completas do cliente” da “T-Mobile USA” em troca de bitcoins.

Entre os dados roubados, estariam detalhes como números de previdência social, números de telefone, nomes, endereços físicos e informações sobre carteiras de motorista.

Apenas por uma parte dos dados, que consistiria em 30 milhões de números de previdência social e carteiras de motorista, o vendedor pede seis bitcoins no valor de cerca de US$ 274 mil. O restante é oferecido de forma privada.

Depois de oferecer, o cibercriminoso disse ter perdido o acesso aos servidores, mas garantiu ter feito backup das informações em vários lugares.

Um porta-voz da T-Mobile afirmou que a empresa "está ciente das alegações feitas em um fórum clandestino" e está "investigando ativamente sua validade", sem ter informações adicionais para compartilhar neste momento.

Com as criptomoedas no centro de recentes ataques cibernéticos, o governo Biden estaria planejando oferecer recompensas de até US$ 10 milhões por informações que ajudem a rastrear criptomoedas e capturar criminosos.

No caso de operadoras, os vazamentos anunciados podem não ser tão grandes, como aconteceu com a Vivo em 2019.

Na época, a brasileira confirmou uma denúncia de que uma falha no portal de serviços Meu Vivo expunha os dados de 24 milhões de clientes. Em 2020, porém, informou que apenas 224 clientes tiveram seus dados acessados por terceiros em dois eventos diferentes de vulnerabilidade das bases de dados.

Fundada em 1999, a T-Mobile US é subsidiária da T-Mobile, que tem sede em Bonn, na Alemanha. A companhia conta com 52 mil funcionários e fatura US$ 44,9 bilhões.

Veja também

UNFOLLOW
Advogados querem ficar de fora da LGPD

Para a OAB-AM, categoria tem que decidir sobre dados dos clientes.

SEGURANÇA
Accenture sofre ataque cibernético

Grupo que opera o ransomware LockBit reivindicou a autoria da invasão.

VAGA
Brasscom ganha corrida pelo CNPD

Entidade de TI superou candidatura da Assespro e dos meios de comunicação.

DADOS
GRPCom: adequação à LGPD com PrivacyTools

O conglomerado de mídia paranaense iniciou o processo no ano passado. 

DADOS
Almaviva agora tem DPO

Roberto Toscani já era superintendente de segurança da informação e privacidade da companhia.

MANUTENÇÃO
Fix: adequação à LGPD com Claranet

A startup atende clientes de imobiliárias parceiras e precisa ter acesso a alguns dados.