O mercado brasileiro de impressão caiu 13,7% no 1º semestre. Foto: Olivier Le Moal/Shutterstock.

O mercado brasileiro de impressão comercializou aproximadamente 1,574 milhão de equipamentos de impressão no primeiro semestre de 2015. O número é 13,7% menor que o apresentado no mesmo período do ano passado. 

Em receita, o mercado movimentou US$ 380,85 milhões, resultado 9,8% inferior. Os dados fazem parte do estudo realizado pela IDC Brasil.

Segundo Diego Silva, analista de mercado da IDC Brasil, os impactos poderiam ser até maiores se, em 2014 o cenário não tivesse sido atípico. 

“No ano passado tivemos carnaval em março, Copa do Mundo e eleições presidenciais. Para o varejo, a diminuição de dias úteis é sinônimo de retração nas vendas. Então, quando comparamos os dados de 2015 com 2014, concluímos que, embora o mercado de impressão tenha sofrido queda, poderia ter sido mais desastroso”, conta o analista da IDC Brasil.

A pesquisa revela, ainda, que a diminuição nas vendas de equipamentos novos atingiu tanto a tecnologia jato de tinta (que atualmente representa 75,3% do total de vendas), como a tecnologia laser (24,7% das vendas) nos seis primeiros meses deste ano. 

“Os resultados de ambas as tecnologias são altamente influenciados pelos volumes de vendas dos equipamentos de menor porte que, em decorrência de suas especificações técnicas e precificação, são em sua maioria endereçados aos usuários domésticos, profissionais liberais e às pequenas empresas”, avalia Silva.

O segmento de serviços de impressão também demonstra resultados negativos no Brasil neste primeiro semestre. 

De acordo com o analista da IDC, atualmente é natural que haja, além de um agressivo movimento de corte de custos (diminuição dos volumes de impressão), uma paralisação de investimentos no segmento de impressão.

“Há poucos novos contratos de grande porte sendo concretizados e os que estão em período de renovação passam por rigorosas negociações de redução de preços”, afirma.

Para 2015, a IDC projeta queda nas vendas de equipamentos de impressão. O mercado laser deve retrair 12%, enquanto o mercado jato de tinta deve ter queda de 0,7%.