Samuel Toaldo e Eugen Braun, sócios da Goleiro de Aluguel. Foto: Divulgação.

A partir de agora, a missão de encontrar um goleiro para o futebol entre amigos ficará mais acessível. A startup Goleiro de Aluguel lançou um aplicativo que conecta os defensores amadores a times de futebol. 

“O lançamento do nosso primeiro aplicativo nos orgulha muito. Além disso, reforça nosso pioneirismo no mundo para quem deseja buscar por um guarda-metas a qualquer hora e em qualquer lugar”, afirma Samuel Toaldo CEO da Goleiro de Aluguel. 

O app traz a integração das convocações confirmadas com o calendário e GPS do contratante e do goleiro, notificando-os sobre o horário ideal para se deslocarem até o local de jogo.

Com o aplicativo é possível acessar todas as informações necessárias para realizar e receber convocações conforme escolha do usuário e ranking de melhores goleiros ativos na plataforma com maior número de partidas por cidade, estado e comparados a nível nacional.

No app, quem contrata o goleiro especifica quantos goleiros devem ser chamados e em qual campo o jogo acontecerá. São sete opções, como Society ou Fut7 em grama sintética, campo com 11 jogadores, futsal e quadra de areia.

Após o término da partida, o contratante é incentivado pelo aplicativo a avaliar o desempenho do goleiro. Dentre os quesitos estão pontualidade, personalidade e técnica.

Já o goleiro, ao baixar o app, cria seu perfil cadastro com informações pessoais e endereço da residência com raio de atendimento. Depois, ele insere a conta bancária para receber os valores de seu “aluguel” 30 dias após os jogos.

Para quem deseja contratar um goleiro para o jogo, é preciso criar um perfil e preencher os dados da partida com data, horários, local, tipo de campo e goleiros. 

O valor pago por hora é de R$ 30, debitado no cartão de crédito, dos quais 60% são destinados ao goleiro e 40% a empresa. 

Além de chamar goleiros aleatórios, que serão ativados de acordo com a distância, é possível chamar um goleiro específico para cada partida, após conhecer os jogadores.-

“Integrar a mobilidade proporcionada pelo aplicativo a toda mecânica que já realizávamos no site e por meio de mensagens é o resultado do nosso empenho constante para facilitar cada vez mais a vida dos nossos ‘peladeiros’”, afirma Toaldo.

Além da Goleiro de Aluguel, Toaldo fundou duas startups, entre elas a Bidwili, que oferece suporte técnico em computadores a domicilio e opera em Curitiba. 

Eugen Braun, também sócio e COO da Goleiro de Aluguel, já atuou na Belinati Perez, que envolve empresas como um escritório de advocacia e uma companhia de recuperação de crédito, onde teve maior presença em atividades ligadas ao desenvolvimento e implementações de processos.