ADS

Amazon entra no mercado de publicidade do Brasil

16/09/2020 09:18

Empresa deve lançar serviço de anúncios no país em outubro.

Mario Meirelles, country manager da Amazon Advertising Brazil. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Amazon deve lançar em outubro a versão brasileira do seu braço de publicidade on-line, uma de suas mais lucrativas unidades de negócios, conforme aponta o site NeoFeed.

Caso isso se confirme, o serviço Amazon Ads vai entrar na competição com Google, Facebook, Mercado Livre, B2W e Magazine Luiza.

A empresa já teria até montado parte da equipe, incluindo profissionais com passagens no Spotify e Google, e já estaria fazendo apresentações para agências de publicidade no mercado brasileiro.

Os formatos vendidos seriam banners e vídeos nos sites da Amazon e de uma rede de parceiros externos, que não foi divulgada.

Assim, o serviço deve começar com uma audiência de pelo menos 40 milhões de visitantes únicos mensais, incluindo as pessoas que acessam o site da Amazon e outros serviços da empresa, como Prime Music, Prime Video, Kindle, Twitch e Alexa.

Ainda de acordo com a publicação, em um primeiro momento a Amazon vai lançar apenas a sua DSP, ou demand side platform, em inglês, uma plataforma de software que auxilia e otimiza a compra de mídia digital.

Já no primeiro trimestre de 2021, o plano seria entrar com o que é chamado de sponsored products, links patrocinados em buscas no site da Amazon para produtos que estão sendo vendidos no marketplace.

A área de publicidade será comandada por Mario Meirelles, que teve passagens pela área de livros da Amazon. No LinkedIn, seu cargo atual está com o título de country manager da Amazon Advertising Brazil e a capa do perfil já contém o logo do serviço de mídia.

Outra profissional contratada para o novo serviço seria Celia Goldstein, que atuou na área de vendas do Spotify e se apresenta como head de agency development da Amazon Brasil.

Procurada pelo NeoFeed, a Amazon disse que não comenta rumores ou especulações do mercado.

Segundo estimativas da consultoria eMarketer, a Amazon Ads deve faturar US$ 13 bilhões só nos Estados Unidos em 2020. No próximo ano, a previsão é alcançar US$ 16,7 bilhões e uma fatia de quase 10% do mercado americano de publicidade digital.

No Brasil, o Magazine Luiza acabou de entrar no mercado com a compra do site de notícias de tecnologia Canaltech e da Inloco Media, braço de publicidade da empresa de geolocalização Inloco.

Com as aquisições, que aconteceram em agosto, a companhia comandada por Frederico Trajano criou a Magalu Ads, mas alguns dos seus principais competidores já estão nesse mercado há mais tempo.

O Mercado Livre, por exemplo, deve atingir uma receita de até R$ 1 bilhão em publicidade. 

Já a B2W, dona das marcas Submarino e Americanas.com, não abre informações sobre o quanto fatura com publicidade. No segundo trimestre de 2020, a receita da sua divisão B2W Ads cresceu 283% sobre o mesmo período do ano passado.

A Amazon chegou ao Brasil em dezembro de 2012, quando lançou o seu leitor de livro digital Kindle. Depois disso, começou a vender livros somente em 2014 e, três anos depois, trouxe o marketplace ao país.

Em 2019, a companhia passou a fazer vendas com estoque próprio em várias categorias de produtos. Recentemente, a varejista lançou a sua assistente pessoal Alexa e o serviço Prime, além do streaming de vídeo e música.

Com a pandemia, veio a aceleração dos investimentos em logística. Em agosto, a empresa anunciou um novo centro de distribuição no Rio Grande do Sul e, em setembro, mais um CD em São Paulo.

A Amazon não abre nenhuma informação relevante sobre sua presença no Brasil (como, aliás, a AWS, seu braço de computação em nuvem), mas analistas estimavam que as vendas devem girar em torno de R$ 800 milhões em 2019, contra algo em torno de R$ 500 milhões em 2018.

Veja também

SAIONARA
Sony para de fabricar no Brasil

Companhia decidiu fechar sua unidade em Manaus. Lista de desistências é grande.

ENERGIA
Arke usa S/4 Hana em nova termelétrica

Primeira fase do projeto foi entregue em três meses pela Evox. 

ESPAÇO
Amazon tem novo CD em São Paulo

Com 100 mil metros quadrados, CD de Cajamar é o maior já construído pela empresa no país.

PLÁSTICO
Grupo Copobras gere logística com Lincros

Companhia possui unidades em seis estados das regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Norte.

GESTÃO
Bertolino, ex-Totvs, é diretor de vendas na Infor

Executivo tem passagens pela Totvs, Oracle e Astrein.

VELHO NORMAL?
Facebook aposta em novo prédio em São Paulo

Empresa alugou 30% de edifício que pode custar até R$ 200 por metro quadrado.

VÍDEOS
Walmart se junta com Microsoft para levar TikTok

Para a gigante do varejo, ter uma parte do TikTok seria um reforço na briga com a Amazon.

VELHO NORMAL
Amazon aposta em escritórios

Gigante de e-commerce não embarcou na tendência do home office e vai ampliar o espaço em 850 mil m².

CONTABILIDADE
Ardagh adota SAP Concur no Brasil

Processo de reembolso, que demandava duas horas, agora leva entre 15 e 20 minutos.

NOVO MUNDO
Amazon quer transformar varejo normal em CDs

Companhia estaria em tratativas para comprar lojas da Sears e da JC Penny nos Estados Unidos.