O tráfego de 1,2 zettabytes em 2012 passará para 5,3 zettabytes em 2017. Foto: flickr.com/photos/francoisroche.

O tráfego global em nuvem deve crescer 4,5 vezes, de 1,2 zettabytes em 2012 para 5,3 zettabytes em 2017, conforme Índice Global de Nuvem da Cisco. Isso significa um aumento de 35% pela taxa de aumento anual composto. 

Outro índice que, segundo a Cisco, irá elevar é o tráfego mundial em data centers, alcançando 7,7 zettabytes em 2017, um desenvolvimento de três vezes.

De acordo com matéria do Computer World, o uso da nuvem para navegação na internet, streaming de vídeos, ferramentas de colaboração e internet das coisas de usuários finais representarão 17%. O restante, será utilizado por data centers e cargas de processamento de computação invisíveis virtualmente aos indivíduos.

Nos data centers, 7% do tráfego será gerado pela replicação de dados e atualizações de sistemas e softwares e 76% por armazenamento de dados, produção e desenvolvimento em ambientes virtualizados.

Ainda segundo o estudo, as cargas de processamento de data centers crescerão 2,3 vezes e as cargas de processamento em nuvem crescerão 3,7 vezes de 2012 a 2017. 

Em 2012, 39% da carga de processamento foi processada na nuvem, com 61% em data centers convencionais.

A previsão é que, em 2014, 51% da carga de processamento será transferida para a nuvem e 49% em espaços tradicionais de TI. 

Até 2017, 63% das cargas serão processadas em data centers na nuvem e 37% em data centers convencionais. Dessa forma, a relação de cargas de processamento de servidor em nuvem não-virtualizada crescerá de 6,5 em 2012 para 16,7 até 2017. 

A relação de cargas de servidores de data centers tradicionais não-virtualizados crescerá de 1,7 em 2012 para 2,3 até 2017.