Eduardo Küpper, founder da Helpling Brasil. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Helpling, um site de intermediação de serviços de limpeza lançado no começo do ano na Alemanha, acaba de abrir as portas no Brasil.

É a oitava operação internacional da startup, uma das incubadas na famosa aceleradora de negócios Rocket Internet, sediada em Berlim.

Não é por menos: o Brasil tem 7,2 milhões de empregados domésticos e aparece como o país com a maior população de trabalhadores domésticos do mundo em números absolutos, segundo estudo feito em 117 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Agora é ver se a proposta do site será atrativa para as domésticas, que, como sabe quem anda em busca de uma, são profissionais disputados.

Pelo lado do usuário, o Helpling é cheio de comodidades. O cliente que precisa de um profissional de limpeza pode preencher um cadastro com informações como número de cômodos da casa e atividades extras (como limpeza de forno e janelas). 

O site calcula, com base nessas informações, as horas necessárias para a realização do serviço, e, consequentemente, o valor a ser pago. O preço da hora é R$ 20,90 para os contratantes. Os profissionais cadastrados no site recebem R$ 15,90 desse valor.

O tempo mínimo para o trabalho é de 3,5 horas e contempla uma residência com um cômodo e um banheiro. O valor final nesse caso fica em R$ 73,15. A limpeza de um apartamento com 3 quartos e 2 banheiros custa R$ 104,50, pois exige 5 horas de trabalho.

Os valores não são lá tão competitivos para as faxineiras. Em São Paulo, cidade na qual a Helpling está sediada no Brasil, o valor de uma diária para um apartamento de um quarto fica entre R$ 100 e R$ 150.

Eduardo Küpper, executivo com passagem por empresas como Hypermarcas, McKinsey & Company e Everis e encarregado de assumir os negócios no Brasil, aposta que o site será uma alternativa para diaristas e conseguirá atrair novos fornecedores para o mercado de faxina, dentro do que a Helpling se propõe em outros países que atua.

“Profissionais que já trabalham com limpeza podem utilizar o site site para preencher dias de folga, assim como estudantes e profissionais de outras áreas que querem complementar a renda”, adianta Kupper.

Uma das áreas apontadas por ele é a de telemarketing. Esses profissionais tem carga-horária de 6h de trabalho por dia e salários de entrada no mercado de trabalho, o que faria a opção de um dinheiro extra com limpeza atrativa, acredita o gerente da Helpling no Brasil.

O pagamento do serviço é feito para a Helpling com cartão de crédito, que repassa o valor para a conta bancária dos profissionais.

“Apesar das diaristas estarem acostumadas a receber em dinheiro, a maioria já tem conta em banco, até pelas possibilidades de crédito que esse processo oferece, e assim tem a segurança de não precisar andar com muito dinheiro na rua”, destaca.

Ao se cadastrar no Helpling, o colaborador é treinado e cadastrado de acordo com seu currículo e habilidade.