Fabio Serpa.

A Unimed Maringá, divisão da Unimed responsável por treze cidades na região noroeste do Paraná, investiu na renovação de seus sistemas de TI, trocando sua plataforma de gestão (ERP), assim como sua solução de RH e de banco de dados.

O projeto, chamado AGIU (Ambiente de Gestão Integrada Unimed), que teve início no ano passado, envolveu inicialmente a consolidação de 28 subsistemas da empresa em apenas três softwares: o ERP Tasy, da Philips, o sistema de RH da Senior e BI da Qlikview.

Entretanto, o que iniciou a partir de um projeto de software se transformou em uma renovação do parque de hardware da empresa, que adquiriu equipamentos Oracle Exadata para suportar a nova operação tecnológica. O projeto de migração foi realizado com a catarinense Teiko.

A implementação do Exadata foi feita em maio e junho deste ano, com um servidor com 25TB de disco para suportar os sistemas Senior, implementado pela paranaense JS Maringá, e Tasy, projeto conduzido em parceria direta com a Philips.

O QlikView, implementando em parceria com a Federação Unimed Paraná, roda em um ambiente separado dos outros dois sistemas.

Segundo a cooperativa de saúde, o investimento total, incluindo softwares e equipamentos, foi da ordem de R$ 5 milhões, divididos em quatro distintas fases de implementação. 

Com isso, a empresa espera verticalizar a gestão e o atendimento nos 5 hospitais, 288 consultórios e sete laboratórios que compõem a rede credenciada da companhia.

A primeira fase envolveu a implantação do RH da Senior, em um projeto iniciado em maio de 2014 e finalizado rapidamente, conforma explicou o gerente de TI da Unimed Maringá, Fabio Serpa.

A parte mais complexa veio com a implementação do Tasy, ERP da Philips especializado no segmento de saúde. O projeto, que iniciou nos módulos comerciais e de atendimento ao cliente, envolveu também a migração dos dados dos antigos sistemas - Biomeek (Oracle) e Microsiga (da Totvs) - para o novo ERP.

"Já na primeira fase, em que renovamos nossa estrutura tecnológica para atendimento, vimos que precisávamos de uma capacidade mais robusta de processamento e optamos pelo Exadata", afirmou Serpa.

Com o novo banco de dados já operacional, a empresa agora está rodando em paralelo as fases 3 e 4 do projeto, migrando para o Tasy módulos como financeiro, contas a pagar/receber, mensalidades, entre outros.

"No segmento de saúde, por ser altamente regulamentado, trabalhamos dentro de ciclos e prazos definidos de entrega por questões de compliance. Nosso prazo para finalizar as duas fases é primeiro de abril de 2016", explica o gerente de TI.

De acordo com o gerente da Unimed Maringá, o novo desenho da TI já trouxe ganhos mensuráveis para a empresa, além do aumento em poder computacional. Em cerca de seis meses, o uso das novas soluções e o ambiente em Exadata já reduziu em 15% os gastos com manutenção de TI.

Antes do projeto, a empresa tinha um gasto mensal médio de R$ 63 mil no seu ambiente de TI. Ao final do projeto, a expectativa é de reduzir esse custo para pouco mais de R$ 23 mil.

"Já na parte de computação, esperamos finalizar o projeto com um aumento de dez vezes em processamento, com estrutura muito mais assertiva na coleta, estruturação e busca de dados, tanto para os colaboradores como para os associados", finaliza Serpa.