Cesar Gon, cofundador e CEO da CI&T. Foto: Divulgação.

A Ânima Educação, organização educacional de ensino superior com mais de 110 mil estudantes matriculados, conta com a CI&T, multinacional brasileira especializada em projetos digitais, para desenvolver o Programa de Transformação Lean Digital.

A primeira ação teve foco na rematrícula, que acontece a cada semestre e está entre as operações mais impactadas pelo programa. 

O projeto com a CI&T foi iniciado com a observação de processos de cinco áreas da instituição e discussões sobre as principais questões do negócio da Ânima Educação. Para isso, foram feitas 17 entrevistas com gestores e criados 13 grupos de foco com 63 profissionais de diversas áreas.

"Em nossa jornada de transformação digital, precisávamos reestruturar o modelo de relacionamento da Ânima Educação para torná-lo centrado no aluno, mais escalável e resiliente, aprimorando autosserviços e automatizando processos que demandavam interações entre nossas áreas", diz Patricia Fumagalli, diretora da Ânima Digital. 

Com isso, o sistema digital da instituição foi aperfeiçoado e, com isso, o tempo para conclusão do processo de rematrícula passou de 30 para 8 dias. 

Além disso, houve redução de 54% no número de alunos que acionam os canais de atendimento da Ânima, que passaram a ser rematriculados automaticamente. Há mais opções de autosserviços para pagamentos, entregas e obtenção de documentos de forma digital.

"Depois dos impactos gerados na rematrícula de alunos da instituição, iniciamos um processo de escala, ampliando o número dos times multidisciplinares para atuação em outras frentes de negócio da Ânima. Nessa linha, desenvolvemos um produto para criação de campanhas", diz Mauro Scatena, gerente sênior da CI&T. 

Para essas novas frentes de trabalho, as equipes estão reorganizadas em squads, sendo três deles compostos por profissionais da CI&T trabalhando em conjunto com cinco colaboradores da Ânima. Ao mesmo tempo, há outras 14 equipes com múltiplas competências na empresa. 

"Algumas pessoas têm uma noção negativa a respeito do impacto tecnológico na educação, como se causasse uma precarização do ensino ou um distanciamento do 'humano'. A transformação digital, na verdade, oferece um leque de possibilidades que empoderam a educação para que ela seja mais efetiva e inclusiva. Afinal, sabemos que quanto mais a tecnologia se torna protagonista, mais o fator humano importa", afirma Cesar Gon, cofundador e CEO da CI&T.

Com sede em Campinas, a CI&T soma mais de 2,5 mil colaboradores. A empresa deve faturar cerca de R$ 700 milhões em 2019, contra R$ 618 milhões no ano passado. A meta é chegar a R$ 1 bilhão em 2020.