O coletor de energia solar Aquakent. Foto: divulgação

A Jamp, grupo brasileiro que congrega empresa nas áreas de plásticos e agronegócios acaba de abrir uma nova divisão para trazer ao Brasil o que define como uma solução inédita em captação de energia solar.

A companhia irá produzir o coletor, batizado de Aquakent, no país. A meta é faturar R$ 30 milhões nos próximos três anos com o equipamento, informa o Valor Econômico.

A fábrica fica em Ouvidor-GO e recebeu R$ 5 milhões em investimentos para iniciar a produção, o que ocorreu ainda em maio deste ano.

Com a divulgação da operação, o diretor Comercial do grupo, Ricardo Kamel, afirmou ao Valor a projeção de que 40% dos novos clientes venham da indústria, restando uma boa fatia para os mercados comerciais e domésticos.

Por hora, segundo o diretor, hospitais, academias e hotéis têm sido os principais interessados na solução.

O coletor começou a ser desenvolvido na Alemanha, mas há alguns anos que a patente caiu, segundo Kamel.

Até agora, eram poucos os modelos presentes no país, o que tornava o produto caro.

Com a fabricação local, a Jamp pretende facilitar a aquisição do Aquakent, que, segundo o executivo, funciona como um sistema de aquecimento solar tradicional, com eficiência de mais de 90%, quando testes mostraram que similares têm média de 60% na absorção de radiação solar.

O grupo Jamp foi fundado há sete anos, com propriedades de mais de 60 mil hectares no Tocantins, onde hoje mantém o plantio de eucaliptos voltados à madeira de reflorestamento e produção de óleo da planta.