Onde está o PC que estava nesta mesa? Foto: divulgação.

Uma pesquisa divulgada na ultima sexta-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constatou pela primeira vez desde 2004 uma queda no número de domicílios brasileiros que tem PCs.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), os dados apontam que a proporção de domicílios com PCs passou de 48,9% em 2013 para 48,5% no ano passado, quando totalizou 32,5 milhões de residências.

Outro recuo registrado pela Pnad foi a daqueda no número de residências com PCs com acesso à internet, que caiu recuou de 42,4% para 42,1%.

Por outro lado, a proporção de pessoas que acessaram a internet por meio de um microcomputador passou da metade da população com idade a partir de dez anos (de 49,4% em 2013 para 54,4% em 2014), chegando a 95,4 milhões, aumento de 11,4%.

A Pnad registrou crescimento do número de usuários de internet em todas as grandes regiões — 19,3% no Norte, 14,6% no Nordeste, 9,5% no Sudeste, 10,0% no Sul e 12,0% no Centro-Oeste.

A explicação do IBGE para a queda dos PCs tem a ver com o crescimento do mercado mobile, com mais usuários adotando dispositivos como smartphones e tablets, ainda não incluídos no estudo.

De 2013 para 2014, por exemplo, a proporção de pessoas que possuíam apenas telefone celular em casa cresceu, passando de 54% para 56,3%, totalizando 37,8 milhões de domicílios e um um aumento de 2,3%.

Os números do IBGE refletem uma queda global no mercado de PCs. Só no Brasil, por exemplo, o IDC registrou no setor uma queda de 38% no segundo trimestre de 2015 na comparação com o mesmo período do ano passado.