Launchpad acelerará oito startups brasileiras. Foto: divulgação.

O Google anunciou nesta quinta-feira, 16, os nomes das 23 empresas escolhidas para o Launchpad, programa de aceleração de startups com foco em empreendimentos no Brasil, Índia e Indonésia. 

O Brasil teve oito startups selecionadas, o mesmo número de companhias indianas - por sua vez, a Indonésia ficou com sete. Segundo divulgou o Google em nota no seu blog, as empresas contarão com apoio de mentoria, treinamentos e até US$ 50 mil em aportes a fundo perdido.

As empresas escolhidas fazem parte da primeira turma da iniciativa, que deve chegar a cerca de 50 em sua segunda fase, a ser realizada no segundo semestre de 2016 e que está aberta para startups interessadas em se candidatar.

Para as startups escolhidas, além dos US$ 50 mil investidos, o programa fornecerá acesso aos especialistas do Google, no Brasil e no vale do Silício, conexão com fundos de venture capital nos Estados Unidos e no Brasil, créditos de US$ 100 mil para gastar em produtos do Google ao longo de um ano, e seis meses de co­working no Google Campus São Paulo (espaço com inauguração prevista para 2016).

Segundo José Papo, gerente de relações com startups e desenvolvedores do Google Brasil, o plano é chegar a 15 startups aceleradas no Brasil, com um montante de até US$ 1 milhão investido, somando valores de capital, aluguel de espaços de co­working e viagem de equipes das startups à sede do Google, na Califórnia.

No Brasil, a seleção contemplou a gaúcha SuperPlayer, a mineira Qranio, a pernambucana ProDeaf, a carioca Cuponeria, a alagoense Hand Talk e as paulistas Agrosmart, Upbeat Games e Elo7.

Com base nos negócios das empresas brasileiras escolhidas, o Google buscou perfis voltados a aplicações com finalidades sociais e de inclusão digital. Por exemplo, duas das companhias tem soluções que contemplam usuários com necessidades especiais.

Sediada em Porto Alegre, a SuperPlayer desenvolveu um aplicativo especializado em streaming de músicas com personalização para cada usuário. Atualmente ele já conta com 1 milhão de usuários ativos.

Fundada em 2013, a Qranio criou um app de educação e entretenimento que reúne características de um quiz show educacional, mas também rende prêmios, em que os usuários podem trocar moedas virtuais por prêmios reais.

Startup apoiada pelo Buscapé Company, a Cuponeria desenvolveu uma aplicação móvel para substituir cupons de desconto em papel. Até hoje, mais de 600 mil cupons já foram emitidos na plataforma, que já teve cerca de 1 milhão de acessos.

Criada em Campinas, a Agrosmart se destacou no programa com uma aplicação simples que usa o potencial da Internet das Coisas. A solução da empresa usa sensores e aloritmos para criar padrões inteligentes e sustentáveis de irrigação para lavouras.

A Elo7, sediada na capital paulista, criou um marketplace voltado a artistas que buscam comercializar seus produtos online. Também de São Paulo, a Upbeat Games desenvolve jogos móveis e possui dois títulos: Snowboard Racing, que já figurou na lista dos top 100 jogos em diversos países, e o Witch Puzzle.

A Hand Talk, de Maceió, lançou um app que traduz voz e texto de qualquer idioma para linguagem de sinais. A ProDeaf, de Recife, guarda similaridades com a Hand Talk com sua solução, que usa avatares 3D para usar linguagem de sinais a partir de fala ou texto.