Mercado brasileiro ainda está em estágio inicial de desenvolvimento. Foto: Divulgação.

O mercado brasileiro de big data e analytics deve movimentar US$ 965 milhões em 2018, de acordo com o estudo da Frost & Sullivan “Insights into Big Data and Analytics in Brazil”. 

Em 2013, o segmento somou US$ 242,6 milhões. Porém, ainda está no estágio inicial de desenvolvimento, afinal, grande parte das empresas não está preparada para processar o crescimento de dados internos e externos. 

De acordo com a instituição, o volume de dados maior fez com que rotinas e processos importantes demorem muito para rodar com soluções tradicionais. Esse fator abriu mais espaço para o mercado.

“Projetos de big data possibilitam para as empresas acessar informações relevantes que normalmente não são fáceis de ser encontradas ou analisadas”, diz o analista sênior de TIC Guilherme Campos. 

A maior demanda para o setor é de serviços consultivos de como utilizar o big data e capitalizar suas vantagens, pois muitas organizações não entendem como usar e nem por onde começar. 

Os provedores de serviços estão trabalhando com as universidades para treinar profissionais especialistas em suas soluções, além de desenvolver soluções user-friendly. 

Conforme a pesquisa, segmentos como finanças, telecom, manufatura e varejo estão mais preparados para implementação. 

“Investimentos em big data do governo crescerão exponencialmente nos próximos anos devido à busca por projetos que tragam maior agilidade, segurança e transparência sobre as informações do governo”, conta Campos. 

A Stratecast, empresa que opera as práticas globais de big data da Frost & Sullivan acredita que o mercado mundial de big data, analytics e business intelligence crescerá 12,7% anualmente e atingirá US$ 40 bilhões em 2017. 

Foram identificados pela companhia entre 20 e 25 grandes provedores que controlam esse mercado, mesmo assim ainda há espaço para players menores, de acordo com o estudo. 

Atualmente, é necessário ter conhecimento especializado para operar e interpretar os dados. 

“Alguns provedores de big data na nuvem como Birst, GoodData, e GigaSpaces estão tornando acessíveis todos os recursos das soluções de Big Data para uma gama maior de compradores dessas soluções”, disse Jeff Cotrupe, diretor de Indústria, Big Data & Analytics da Stratecast.