84% dos entrevistados usam o computador do trabalho para checar e-mails. Foto: Syda Productions/Shutterstock.com

Uma pesquisa da Intel Security que entrevistou 200 brasileiros detectou que 84% deles usam o computador do trabalho para checar e-mails, enquanto 52% usam o equipamento para atividades bancárias e 34%, para compras online.

Além disso, 65% dos entrevistados usam o smartphone pessoal para trabalhar, enquanto 38% usam laptop pessoal para suas atividades profissionais.

Segundo o estudo, 70% das pessoas se dizem preocupadas ou muito preocupadas com a segurança da informação quando estão trabalhando fora do escritório. Mesmo assim, 49% afirmam se conectar a redes wi-fi com o laptop da empresa, mesmo sem saber se é seguro.

Entre os entrevistados, 66% acreditam que a empresa é responsável por proteger dados pessoais em dispositivos de trabalho, e 72% das pessoas consideram que a maior parte do trabalho que faz é confidencial ou privado.

A maior parte dos entrevistados (71%) acredita que, no futuro, a empresa permitirá a utilização de dispositivos vestíveis e mais dispositivos pessoais no trabalho.

De acordo com a Intel, 50% acreditam que a empresa rastreia todos os seus dados e paradeiros.

Bruno Zani, gerente de engenharia de sistemas da McAfee do Brasil, agora, empresa da Intel Security, aponta que do ponto de vista da segurança, a mistura dos dispositivos profissionais e pessoais são arriscadas, pois significa que qualquer comportamento de risco ao qual os funcionários possam estar expostos online também poderão gerar ameaças para as empresas. 

Além disso, ao usar os seus próprios dispositivos para o trabalho, os funcionários colocam informações sobre a empresa em risco em todos os endpoints que não estejam adequadamente protegidos. 

A pesquisa da Intel Security foi conduzida pela empresa MSI Research com 2,5 mil entrevistados com idades entre 18 a 65 anos nos Estados Unidos, Canadá, Espanha, Reino Unido, Alemanha, Itália, França, Holanda, Japão, Índia, Brasil e México. No Brasil, foram entrevistadas 200 pessoas.