Watson, o casamenteiro. Foto: Shutterstock.

A Mecasei, startup gaúcha especializada em organização de casamentos, adotou o uso do Watson, tecnologia de computação cognitiva criada pela IBM, para criar um serviço de assistente pessoal dentro do serviço.

Com base na inovação da Big Blue, a empresa criou a Meeka, sistema de inteligência artificial nos moldes da Siri, da Apple, e Cortana, da Microsoft, só que adaptado às utilidades do Mecasei.

Segundo destacou a startup em nota, a tecnologia da Meeka pode cuidar de detalhes como organização de listas de convidados e presentes, assim como os preparativos do casamento, conversando com o usuário através de um chat.

Com o uso do Watson, o sistema do Mecasei toma como base os gostos e hábitos dos usuários.

De acordo com o Mecasei, o projeto para a criação de uma assistente inteligente começou internamente. Entretanto, foi indicado pela aceleradora Ventiur a participar do programa IBM Global Entrepreneur Program.

Ao ter sua proposta aprovada pela Big Blue, a empresa passou a ter acesso aos kits de desenvolvimento de Watson, passando a basear sua tecnologia nas capacidades tecnologias do software da IBM.

Lançado em 2011, o Mecasei.com projeta ser a principal plataforma de casamentos do Brasil em 2016. Para 2015, a empresa projetou uma alta de 20% ao mês no número de casais cadastrados, fechando o período com 8 mil novos inscritos e um faturamento de R$ 2 milhões.

O Mecasei.com foi uma das startups selecionadas pelo programa Startup Brasil. Depois, passou por um processo de pré-aceleração com a Ventiur.net e passou para próxima fase do ciclo de aceleração. No total, o Mecasei.com recebeu um aporte de mais de R$ 300 mil.

O site tem no iCasei - criado em 2007 - sua maior concorrência. No total, mais de 150 mil mil casais utilizaram o iCasei durante a organização de seus eventos.

Para a IBM, abrir e levar as capacidades do Watson para startups como o Mecasei servem para alimentar a plataforma cognitiva, capaz de assimilar e processar informações nao padronizadas.

Atualmente só o Bradesco tem um grande contrato comercial para o uso do Watson no Brasil, adotando a interface linguística do Watson para uso no call center do banco, tornando inteligente a comunicação interna e o atendimento aos clientes.

Por falar em foco no Brasil, vale lembrar que a empresa criou no país no ano passado o Centro de Competência do Watson, que está trabalhando para ensinar português brasileiro para o sistema de computação cognitiva.