Chris Yi. Foto: Gláucia Civa

A LG Electronics abriu em Porto Alegre nesta quinta-feira, 17, sua primeira loja no Brasil.

O espaço é mantido em parceria com a Lojas Colombo, que também estreia no ramo de lojas dedicadas.

Conforme o CEO da LG Brasil, Chris Yi, a meta é abrir dez novas lojas no país dentro de três anos.

Os novos destinos não foram revelados, nem se seguirão a aliança com a rede varejista gaúcha.

“Este conceito de loja aproxima a LG do varejo, trabalhando o conceito de experiência do consumidor. Se vamos abrir outras, entretanto, não sabemos, mas é claro que vamos considerar”, desconversa Cesar Siqueira Anderson, diretor de Vendas da Colombo.

O executivo também sai pela tangente quando questionado sobre o posicionamento que a estreia em loja dedicada de uma marca de eletrônicos dá à varejista em relação a concorrentes como a também gaúcha Herval, que mantém os iPlaces, espaços exclusivos para venda de Apple.

O número de revendas exclusivas autorizadas da fabricante norte-americana na rede da Herval chega a 13, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo e Brasília.

A Colombo também revende Apple, embora nas lojas convencionais da rede, e há poucos meses fechou uma parceria com a multi para oferecer o iPad 2 em  todas as suas 330 filiaisno Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais.

E se a Herval tem oferta em revendas exclusivas, na Colombo o diferencial vem em quesitos como facilidade de pagamento - o iPad 2, por exemplo, pode ser parcelado em 10 vezes.

A parceria exclusiva com a LG pode, entretanto, dar um gás nos negócios da Colombo frente à concorrência, já que, segundo levantamento do Ibope Inteligência e Worldwide Independent Network of Market Research, no Brasil a Apple e a LG dividem as intenções dos consumidores, ao menos no que tange à compra de laptops.

No mercado de tablets, a Apple é a marca preferida, com 47%.

A velada disputa entre Colombo e Herval também já passou por boatos como o da possível compra da primeira pela segunda, que rondaram o mercado no início deste ano, mas foram veementemente negados pelo próprio Siqueira Anderson.

“Não estamos à venda. Pelo contrário, seguimos investindo em expansão. Somente em novas lojas temos investimentos próximos a R$ 9 milhões previstos para este ano”, declarou o executivo, revelando a previsão de abrir 20 lojas e um centro de distribuição.

Os boatos surgiram após a divulgação do balanço da Colombo, que teve prejuízo de R$ 54,3 milhões em 2011, o lucro de R$ 11,4 milhões obtido de 2010.

Para este ano, a Colombo ainda não divulgou sua projeção de faturamento.

NOVAS CARTADAS
Na esteira dos novos negócios, a loja da LG não é a única aposta.

Há dois meses, por exemplo, a Colombo abriusua primeira loja física com vendas exclusivamente pela web, na cidade de Serafina Corrêa, a 215 km da capital Porto Alegre.

A unidade é uma investida da empresa em sua frente de maior faturamento: atualmente, o e-commerce é responsável por 17% do total de negócios da varejista, segundo o diretor de Vendas.

O novo formato, conforme Anderson, garante o apoio de uma estrutura física e consultores especializados para incentivar o fechamento de negócios na web, canal em que a rede cresceu 39% em 2011 e 46% nos dois primeiros meses de 2012, em relação ao mesmo período do ano passado.

“Nosso desempenho representa praticamente o dobro das projeções da e-Bit para o comércio eletrônico no Brasil em 2012, que deve crescer 25% no decorrer do ano”, salienta Anderson.

OLHO PUXADO
A LG Electronics, por sua vez, é de origem sul-coreana e emprega mais de 93 mil pessoas em 120 operações em todo o mundo, com vendas globais de US$ 49 bilhões em 2011.

A empresa é especializada em eletrônicos de consumo, telefonia móvel e eletrodomésticos.

No Brasil, mantém fábrica em

No Brasil, a empresa mantém uma fábrica em Taubaté, no interior paulista.

A produção local iniciou há 15 anos.