CI&T apronta produtos com IA. Foto: divulgação.

A Ci&T nasceu e cresceu com bases na oferta de serviços de TI. Foi esse posicionamento que forjou os alicerces de negócios à companhia baseada em Campinas, interior de São Paulo. Agora a empresa ensaia novos passos, com uma atuação mais forte na frente de produtos com a utilização de tecnologias como inteligência artificial.

A empresa trabalha para viabilizar um roadmap de quatro ofertas que devem chegar ao mercado ao longo de 2014. Uma dessas soluções foi apresentada oficialmente na segunda-feira, 16. Batizada de Smart Canvas, trata-se de um software como serviço (SaaS) que faz curadoria e entrega de conteúdo digital personalizado.

A ferramenta, criada em parceria com o Google, se apropria de recursos como computação em nuvem e big data, além de utilizar aprendizado de máquina e algoritmos avançados de análise preditiva e assim personalizar experiências de clientes de empresas e marcas.

“Capturamos de dados em diversas fontes diferentes, que vão desde de redes sociais até CMSs (Content Managment System) tradicionais. Depois, transformamos isso em um card, que funciona como um pequeno conteiner de informação, que convida as pessoas a interagirem”, explica Daniel Viveiros, líder de tecnologia da Ci&T, sinalizando que a ferramenta nasce em um contexto de geração descentralizada de dados.

O diferencial, diz, está no motor algorítmico que ordena esses registros. “A ideia é entregar o conteúdo correto para a pessoa correta dentro de um contexto”, comenta. Para fazer isso, emerge toda a parte de AI, algo que a provedora acredita que será um grande diferencial pelos próximos três anos, pelo menos.

A tecnologia foi pensada para funcionar em diversas plataformas. “Não temos dúvidas que esse formato de cards é uma das estruturas mais adequadas tanto para dispositivos móveis quanto vestíveis, como smartwatches e Google Glass”, pondera.

O Smart Canvas já roda em dois clientes: na FilmBrazil alimenta um mosaico dinâmico de fotos e vídeos do Instagram do festival de publicidade de Cannes; na Ancar Ivanhoe Shopping Centers deve ajudar a adminstradora desses centros de compras na relação com lojistas e seus clientes.

Além dos dois clientes que já utilizam o produto, há conversas com cerca de vinte companhias em prospecto. De acordo com Viveiros, desses, cinco encontram-se em estágio mais avançado.

“Enxergamos um potencial de ter uma fatia significativa da Ci&T vindo dessa oferta”, vislumbra, para fazer a ressalva que o foco momentâneo não direciona-se tanto aos aspectos financeiros oriundos da ferramenta, mas pela possibilidade de gerar disrupção e ganhos de escala.

A orientação para soluções mais prontas pode trazer outros benefícios como, por exemplo, fortalecer as iniciativas da brasileira no mercado externo. “Só com assunto Smart Canvas, abriu a possibilidade de falar com cinco canais nos EUA”, ilustra.

A Ci&T planeja o lançamento de uma versão da plataforma de curadoria de conteúdo online para ser utilizado em ambiente de intranet. Ainda na frente de produtos, a companhia já trabalha uma solução focada em varejo e deve colocar na prateleira uma outra novidade endereçada a demandas, possivelmente, da vertical de varejo.

“Nossa estratégia, nesse momento, não é ter dez ou 20 produtos, mas um portfólio conciso que gere relevância no mercado”, pontua.

O executivo vê inteligência artificial dentro de outras ferramentas e como proposta de valor na frente de serviços. “Imaginamos que AI seja o futuro da computação e estamos trazendo isso muito forte”, comenta Viveiros.