Efeitos da pandemia afetaram o resultado da Oracle. Foto: Pexels.

A Oracle fechou seu ano fiscal 2020 com uma receita de US$ 39,1 bilhões, uma queda de 1% frente aos resultados de 2019.

Decisivo na queda foi o desempenho do último trimestre fiscal, encerrado em 31 de maio, incluindo portanto os efeitos da pandemia do coronavírus.

Nesse período, a queda foi de 6%, para um resultado de US$ 10,4 bilhões, abaixo da média de US$ 10,67 bilhões prevista pelos analistas.

O resultado do ano fiscal de 2019 já havia sido de queda de 0,8%. O de 2018 foi melhor, com alta de 5,2%. 

Na divulgação dos resultados a tônica foi otimista.

"Nosso negócio em geral se saiu bem, tendo em conta a pandemia", afirma a CEO, Safra Catz, atribuindo a queda a projetos adiados na área de varejo, transporte e hostitality, alguma das mais atingidas pela crise.

De acordo com Catz, as negociações já recomeçaram em países que estão reabrindo suas economias. 

"Como essa queda não foi causada por perda para competidores, nós acreditamos que os negócios acabarão sendo fechados", acredita Catz.