Terreno em Montenegro onde ficará a fábrica da joint venture. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Depois de diversas negociações e adiamentos, a joint venture da brasileira Procable e o grupo japonês Fujikura teve seu sinal verde no Rio Grande do Sul.

Em reunião nesta quarta-feira, 17, em Porto Alegre, as companhias oficializaram um acordo de investimento para o início da fabricação de cabos e condutores elétricos, em uma unidade em Montenegro, cidade a 55km da capital gaúcha.

De acordo com a coluna Informe Econômico, da Zero Hora, a nova planta será resultado de um investimento de R$ 60 milhões - metade investida agora e a outra até 2015 - vai gerar na primeira fase, a ser iniciada em agosto de 2014. O plano é aumentar o número de funcionários para 300.

A unidade gaúcha será usada pela Fujikura para impulsionar sua participação no mercado latinoamericano. Atualmente, o faturamento global da Fujikura fica na casa dos US$ 7 bilhões anuais.

De acordo com presidente da Procable, Fumitaka Nashimura, a empresa chegou a avaliar a instalação das unidades em outros estados, porém decidiu pelo Rio Grande do Sul por dois motivos: “fomos bem acolhidos e, além disso, também encontramos capacidade técnica", explicou.

Na joint venture, a multinacional japonesa conta com 90% do controle acionário, enquanto a Procable controla a parcela restante do negócio.

Fundada em 1910, no Japão, a Fujikura tem mais de 50 mil funcionários em todo o mundo, com unidades no Japão, China, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos.

AGORA VAI

O plano da Fujikura com a Procable se arrasta desde 2011, quando a multinacional mostrou interesse em se instalar no estado. Em novembro de 2012, a parceria foi colocada em espera, transferindo o início da operação para julho de 2013.

Os trabalhos já estavam em andamento no terreno de 14,4 hectares em Montenegro, com 90% da terraplanagem concluída. Segundo afirmou na época o presidente da Procable, Fumitaka Nashimura, em reunião com o governo do estado há muito entusiasmo com o investimento no Rio Grande do Sul.

“Aproveitando o cenário positivo, queremos adquirir mais uma área no Distrito Industrial de Montenegro-Triunfo, de propriedade do Estado. Atualmente, dispomos de 14,4 hectares, a ideia é dobrar a dimensão, apostando no futuro”, revelou Nashimura.

Em consórcio com a CEEE-GT, a empresa venceu um leilão da Aneel para a construção e a operação de uma linha de transmissão subterrânea em Porto Alegre, no qual serão investidos outros R$ 54 milhões.

De acordo com Nishimura, a empresa chegou a avaliar a instalação das unidades em outros estados, porém decidiu pelo Rio Grande do Sul por dois motivos: “fomos bem acolhidos e, além disso, também encontramos capacidade técnica", explicou o presidente.