Chris Torto, fundador e CEO da Ascenty Data Centers. Foto: Divulgação.

A Ascenty Data Centers está iniciando a construção de seu quarto centro de dados no Brasil, em Fortaleza, no Ceará.

O data center será o primeiro da região Nordeste a ser construído de acordo com as recomendações internacionais do Uptime Institute para a Certificação Tier III, segundo a Ascenty.

O investimento total é da ordem de R$ 120 milhões e a inauguração do data center está prevista para o segundo trimestre de 2015. 

“Com isso, vamos ampliar nossa capacidade e, o que é mais importante, levar para o Nordeste uma infraestrutura capaz de atender às exigências de grandes clientes internacionais”, afirma Chris Torto, fundador e CEO da Ascenty Data Centers.

Ele adiantou, sem citar nomes, que já há uma empresa internacional com contrato fechado para utilização do novo centro de dados.

Esse será o primeiro data center da Ascenty fora do estado de São Paulo. 

A empresa possui três centros de dados no interior paulista: um em Campinas, em pleno funcionamento, outro em Jundiaí, que está prestes a ser inaugurado, e o terceiro em construção, no município de Hortolândia. 

Os data centers de Campinas e Jundiaí já receberam a Certificação Tier III do Uptime Institute, principal autoridade internacional nessa área.

Por meio dessa infraestrutura de data centers, a Ascenty oferece serviços de colocation, hosting gerenciado, cloud computing e serviços gerenciados para monitoramento de ambientes de TI. A infraestrutura da empresa também inclui uma rede própria de fibra óptica, com 2 mil quilômetros de extensão.

Em maio, a Ascenty começou a procurar empresas para seu programa de canais. A expectativa era contar com entre 20 e 30 empresas que poderiam ampliar de 20% a 25% o faturamento da Ascenty.

O programa, que contou com investimento de mais de R$ 200 mil, tem o objetivo de expandir a atuação da empresa no Brasil. 

Na época, Torto já demonstrava interesse na região de Fortaleza e falava sobre o projeto do data center.

“Apesar de não estarmos focados em uma região específica, sabemos que o Nordeste tem uma carência nessa área, e queremos ampliar a atuação nesse local”, afirmou.