Baguete
InícioNotícias> Meta quer dobrar até 2020

Tamanho da fonte:-A+A

PLANEJAMENTO

Meta quer dobrar até 2020

Maurício Renner
// segunda, 17/07/2017 08:45

A Meta, empresa de TI e parceira SAP sediada em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, reorganizou seu modelo de negócios, com a meta de dobrar o faturamento até 2020.

Telmo Costa. Foto: Jefferson Bernardes.

A companhia dividiu suas áreas em negócios em quatro, com a introdução de um novo segmento focado em terceirização de processos de negócio (BPO, na sigla em inglês) e a consolidação de alterações em divisões já existentes como Estratégia, Software e SAP.

A divisão de BPO surgiu a partir de um contrato fechado com o Sicredi, banco cooperativo gaúcho e está sendo liderada por Sergio Kaklelis, um profissional com passagem em cargos de gerência em áreas de negócios e tecnologia de empresas como Gerdau, Vale e CPFL.

O foco em áreas de negócios dos clientes também se reflete na área de Estratégia, a partir da qual são oferecidos serviços de consultoria, governança, gestão de processos, gestão de projetos e gestão de mudanças.

Aqui, a ênfase será em transpor para as áreas de negócios a experiência acumulada com métodos ágeis de desenvolvimento de software da Meta. 

O interesse pela chamada cultura ágil está em alta nas grandes corporações que formam a clientela da Meta. Recentemente, a Gerdau dedicou um evento de um dia ao tema, com executivos de todas as áreas.

“Se antes nosso cliente era uma parte do departamento de TI, agora temos condições de absorver também as operações das áreas de negócio e de gestão, além de assumir projetos deles no exterior”, afirma Telmo Costa, presidente da Meta.

Na área de desenvolvimento de software, um dos carros chefes da Meta, a ênfase será em métodos ágeis, focados em entregar o conceito de TI bimodal, no qual a manutenção de legados convive com inovações em áreas de nuvem, analytics e mobilidade. 

Por fim, a Meta seguirá apostando na sua área de SAP, que teve um grande desenvolvimento desde o começo de 2016, quando a empresa começou a vender também licenças de software da multinacional alemã (antes, só oferecia serviços de desenvolvimento).

Um ano e meio depois, a Meta já é uma parceira Gold e trabalha com a meta de se tornar uma referência no S/4 Hana, a última versão do software de gestão da SAP, feita para rodar no seu novo banco de dados em memória.

De acordo com Costa, a Meta está bem encaminhada na sua meta de dobrar até 2020. A empresa cresceu 15% em 2016, um ano em que muitas empresas do setor comemoraram a manutenção do faturamento, e acelerou no primeiro semestre do ano, chegando a 30%.

De janeiro a maio de 2017, a Meta contratou 264 novos colaboradores e espera preencher 113 vagas até o final deste mês.

A Meta tem escritórios no Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Miami e uma carteira de 350 clientes, incluindo nomes como Lojas Renner, Herval, Hospital Sírio Libanês, Unimed, Sicredi e GetNet.

Maurício Renner