Marciane Mueller diz que o sistema é constantemente atualizado. Foto: divulgação

Desde a primeira semana de setembro, o Hospital Santa Cruz (HSC) implementa seu novo sistema informatizado de gerenciamento de acesso de pessoas na instituição.

Com a solução da MV Sistemas, fabricante de softwares em gestão para saúde, o hospital moderniza o gerenciamento de portarias. O Port-MV faz o controle dos registros de entrada e saída de visitantes, acompanhantes de pacientes e fornecedores às dependências.

A solução faz parte de um pacote de 34 sistemas adquirido em 2006 e aplicados ao longo dos anos pela administração do local.

Para a utilização do Port-MV foram treinados 24 funcionários ligados direta e indiretamente ao atendimento dos visitantes. Não foram divulgados os valores de investimento na migração.

O sistema emite uma etiqueta com código de barras para identificação do visitante, substituindo os atuais crachás.

Conforme a coordenadora do Setor de Informática e de Desenvolvimento Organizacional do HSC, Marciane Mueller, o sistema anterior era falho, utilizando uma lista manual de frequentadores. Sem um controle de visitantes, muitas vezes o número da lotação era extrapolado.

“Com essa solução, evoluímos, pois o hospital cresceu muito nos últimos anos. A segurança é um requisito importante. Tínhamos casos de furto e não conseguíamos fazer o mapeamento de tudo que acontecia dentro do hospital”, explica.

Em 2003, o HSC foi adquirido pela Associação Pró-Ensino e, com isso, mantém uma parceria junto a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) para programas de residência médica, gerando uma grande circulação de alunos nas dependências.

Integrado com as outras soluções, o atual sistema gera relatórios com o tempo médio de visitas que serão encaminhados à administração para analisar e organizar os fluxos.

Com a mudança, é obrigatória a apresentação de documento para que sejam registradas as informações de identificação, destino e horários de entrada e saída de cada visitante ou acompanhante que chegar em qualquer uma três recepções do hospital.

O HSC, fundado em 1908, é considerado de porte médio e tem 189 leitos. Sem um indicador de controle, não é possível ter com exatidão o número de visitantes, mas Marciane estima uma média de 400 pessoas circulando na instituição por dia.

Entre os outros processos do negócio hospitalar já implementados, estão também a modernização do meio de produção dos prontuários, a informatização da farmácia e seus subestoques (dispensação de materiais e medicamentos), do Serviço de Arquivamento Médico e Estatístico, da gestão financeira, do controle patrimonial, do setor de compras e almoxarifado, do serviço de nutrição e dietética.

Conforme Marciane, a informatização impacta também na agilidade e qualidade do processo assistencial.

“A implantação do sistema integrado de gestão hospitalar promoveu a automação de inúmeras rotinas, evitando deslocamentos e eliminando retrabalhos”, finaliza ela.