A capacidade de produção anual da nova fábrica é de até 150 milhões de itens. Foto: Manu Dias/GOVBA.

O Grupo Boticário inaugurou na terça-feira, 16, uma fábrica em Camaçari, na Bahia, que contou com investimentos de R$ 380 milhões. 

O projeto faz parte de um pacote de expansão de R$ 650 milhões de reais, que incluiu também um laboratório de desenvolvimento de produtos na sede da empresa, em São José dos Pinhais, e um centro de distribuição na cidade baiana de São Gonçalo dos Campo, segundo o Estadão.

A capacidade de produção anual da nova fábrica é de até 150 milhões de itens, elevando o potencial industrial da companhia em 50% - dos atuais 315 milhões de itens por ano até então concentrados na fábrica de São José dos Pinhais, para até 465 milhões de unidades.

A ampliação da capacidade produtiva tem o objetivo de abrir espaço para acomodar o crescimento do consumo até 2020, afirmou o presidente do Grupo Boticário, Artur Grynbaum. 

A previsão do grupo em 2014 é de desaceleração na expansão de vendas em relação à média dos últimos cinco anos.

Mesmo assim, a receita deve aumentar até 17% na comparação com o ano anterior e superar a marca de R$ 9 bilhões. 

Para os próximos anos, o Grupo Boticário pretende reduzir o investimento em abertura de lojas. Mesmo assim, segundo Grynbaum, a empresa deverá inaugurar pelo menos mais cem unidades por ano. 

Atualmente, somente O Boticário, principal marca da companhia, possui quase 3,7 mil unidades em todo o país.

O investimento do grupo paranaense em novas marcas, como Eudora, The Beauty Box e Quem Disse, Berenice?, e na ampliação de sua capacidade de desenvolvimento e produção é uma resposta à chegada de novos concorrentes ao Brasil, diz o consultor em franquias Marcelo Cherto.  

Além das tradicionais rivais Natura e Avon, segundo Cherto, a empresa agora precisa enfrentar gigantes como a francesa L’'Oréal, que vem ocupando mais espaço no varejo tradicional.