Itaipu moderniza sistemas com SEL. Foto: divulgação.

A Itaipu Binacional, maior hidrelétrica do mundo em geração de energia, investiu R$ 2 milhões com a Schweitzer Engineering Laboratories (SEL), empresa especializada em proteção e automação de sistemas elétricos, para aperfeiçoar seu sistema de proteção de barras.

Pelo contrato, a SEL realizará a substituição e atualização dos painéis para proteção de barras em 500kV, que são responsáveis pela distribuição da potência gerada para as linhas de transmissão de energia.

As barras integram-se aos transformadores das unidades geradoras que elevam a tensão para 500 kV para que a potência seja transmitida. É por meio das barras que se distribui a potência gerada na usina.

Qualquer distúrbio nessa barra, um curto-circuito, por exemplo, pode prejudicar o fornecimento da energia, por isso, a necessidade de um sistema seletivo que proteja a barra para impedir que se comprometa toda a transmissão de energia.

O objetivo é substituir o antigo sistema por dispositivos inteligentes digitais, capazes de identificar e minimizar erros e consequente colapso do sistema elétrico. O projeto se estende até 2017.

De acordo com o superintendente de engenharia da Itaipu, Jorge Habib Hanna El Khouri, a atualização é preventiva e tem o objetivo de substituir as proteções eletromecânicas das barras de 500 kV que já estão no fim da vida útil.

Para o superintendente, um dos grandes desafios é cumprir o rigoroso planejamento para substituições dos relés anteriores na forma e tempo programado.

"Os esforços preliminares para liberação da barra para substituição da proteção exigem um grande trabalho de coordenação com várias instituições”, afirma.

Segundo Bertholdo Hoffmann, gerente de vendas da SEL, é um projeto de alta complexidade, cuja operação será feita de forma gradual e ágil, com remanejamento de carga em um período em que a dependência da usina não seja crítica.

"O trabalho será realizado em conjunto com equipes da SEL e da Itaipu e com testes, ensaios e simulações rigorosas para que os ajustes ocorram antes do comissionamento e entrada do novo sistema em operação", afirma.

A expectativa, segundo ele, é que o novo sistema contribua de modo positivo com os altos índices de disponibilidade e confiabilidade que a hidrelétrica tem mantido ao longo do tempo.

Hoje, a Itaipu opera com 20 unidades geradoras, dez na frequência de 50 Hz, que fornecem energia ao Paraguai e dez em 60 Hz para o sistema de potência brasileiro.

Além do atendimento à Itaipu, a SEL também possui contratos em andamento com outras empresas transmissoras de energia elétrica do País num total de mais de R$ 10 milhões.

Os contratos envolvem importantes concessionárias do setor elétrico, tais como Furnas, Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE), Companhia Paranaense de Energia (Copel), Eletrosul e outras.