Volkswagen precisa melhorar muito seu software. Foto: Divulgação.

A Volkswagen vai investir € 27 bilhões em desenvolvimento de software nos próximos cinco anos

O valor é o dobro do previsto no planejamento anterior e mais de um terço de todo o orçamento de € 73 bilhões para novas tecnologias previsto pela montadora alemã.

"Nos próximos anos, será crucial também alcançar uma posição de liderança em softwares para o carro para atender focaremos nossos esforços para também alcançar uma posição de liderança em softwares para atender às necessidades de uma mobilidade individual sustentável e totalmente conectada”, afirma Herbert Diess, CEO do Grupo Volkswagen. 

A parcela da empresa em softwares próprios deverá aumentar de 10% para 60% até 2025.

Dentro da estratégia de se tornar uma “empresa de mobilidade digital”, a Volkswagen está colocando dinheiro ainda em eletrificação e motores híbridos, que levam juntas € 46 bilhões.

Nos próximos dez anos, até 2030, o Grupo pretende lançar aproximadamente 70 veículos totalmente elétricos. Cerca de 20 deles já estão em produção e serão seguidos por mais 50. 

Além disso, cerca de 60 híbridos estão planejados para o final da década, pouco acima da metade dos que já estão sendo fabricados.

A meta é vender aproximadamente 26 milhões de carros totalmente elétricos até 2030. 

O resumo da ópera é: a Volkswagen não quer ficar para trás de novos competidores, dos quais o mais temível é a Tesla.

Para isso, a companhia tem que criar carros elétricos, mas também melhorar muito o software que roda neles, o que hoje é um ponto fraco da VW, que, como a Alemanha em geral, é boa de engenharia, mas não tão boa de código.

No ano passado, a Volkswagen criou uma unidade chamada Car.Software, com a meta de contratar 5 mil desenvolvedores até 2025.

A meta é criar uma plataforma base com funcionalidades básicas para todas as marcas da montadora. 

A coisa não começou bem, no entanto. O ID.3, primeiro carro elétrico da Volkswagen, teve seu lançamento na Alemanha atrasado de agosto para setembro por problemas justamente no desenvolvimento do software.

A experiência de usuário do carro, que deveria ser o diferencial e uma resposta à Tesla, acabou deixando a desejar. O carro foi lançado com uma versão simplificada.

Os compradores devem atualizar o software em uma concessionária, porque as unidades no mercado até agora não tem atualização pela nuvem, o que é uma feature da Tesla.