A Gasmig é uma das mais importantes distribuidoras de gás natural do país. Foto: divulgação.

A  Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) contratou a Sonda para fazer o gerenciamento das suas aplicações SAP, o tipo de serviço conhecido no mercado pela sigla em inglês AMS.

O projeto inclui o gerenciamento de sistemas de CRM, ERP e Billing da multinacional alemã rodando na empresa.

São mais de 100 profissionais da Sonda envolvidos, que atuam nos chamados de AMS e no desenvolvimento de projetos, com suporte corretivo e proativo para a melhoria dos sistemas.

A área de TI da Gasmig, em conjunto com empresa de tecnologia, gerencia a demanda e direciona as prioridades para os especialistas.

Anteriormente, a companhia de gás já utilizava a plataforma SAP. A Sonda mapeou, então, os pontos de melhoria e analisou os backlogs para sugerir aperfeiçoamento nos processos, iniciando a gestão das demandas recorrentes.

"Este contrato reforça que é possível estabelecer uma relação de parceria, entregando serviços de forma ágil, inteligente e proativa, sem deixar de lado a inovação. O projeto pode se tornar um benchmark para o mercado de gás", afirma Flavio Soares, diretor de contas para o segmento de utilities da Sonda.

Criada em 1992, a Gasmig é uma das mais importantes distribuidoras de gás natural do país, com atendimento a mais de 50 mil clientes em Minas Gerais.

Atendendo inicialmente o segmento industrial, a empresa passou a abranger, em 2013, os segmentos residencial e comercial.

"Com a nossa entrada no mercado de varejo, partimos de 300 para 50 mil clientes, com expectativa de quadruplicar esse número nos próximos anos. Buscamos um parceiro consolidado no mercado porque é fundamental que tenhamos uma TI forte e capacitada para acompanhar nossa expansão", ressalta Pedro Magalhães, diretor-presidente da Gasmig.

Já a Sonda é a maior empresa latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, com receita de US$ 1,152 bilhão em 2018 e 17 mil funcionários.

A companhia tem presença direta na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Panamá, Peru e Uruguai.

No Brasil, a empresa mantém escritórios próprios nos 26 estados brasileiros, com mais de 8 mil colaboradores e 700 clientes.

São sete centros de serviços, um centro de inovação e três data centers. A receita da companhia no Brasil em 2018 foi de US$  329,1 milhões.

Os contratos de AMS normalmente são fechados com duração de cinco anos e são uma grande filão de negócios para as consultorias SAP, especialmente em períodos de vacas magras como o atual. 

É um mercado concorrido também. De acordo com uma pesquisa recente da ISG, 22 empresas trabalhavam com serviços gerenciados para a SAP no país.