Carlos Testolini. Foto: divulgação.

A chilena Sonda encerrou 2012 com faturamento de US$ 1,41 bilhão, crescimento de 14,9% em relação ao ano anterior.

O lucro líquido totalizou US$ 95 milhões, alta de 16,2% sobre 2011.

Já o resultado operacional atingiu a marca de US$ 178,3 milhões e o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi registrado em US$ 244,5 milhões, aumento anual de 24,1% e 28%, respectivamente.

A margem Ebitda atingiu 17,2%, uma alta de 170 pontos-base frente a 2011.

No Brasil, a Sonda fechou o ano passado com faturamento de US$ 478,9 milhões, alta de  28% ano/ano.

O resultado local foi acompanhado por um Ebitda de 13,6%, mostrando crescimento de 50,6% sobre o ano anterior, o que representa uma elevação de 320 pontos-base sobre 2011.

Fora da matriz, no Chile, o Brasil representa 61% dos resultados da companhia.

Para manter os índices de crescimento, o presidente da Sonda IT, Carlos Testolini, divulga um plano de investimento de US$ 700 milhões para o triênio 2013-2015.

Segundo ele, o aporte será destinado à melhorias de produtividade, mas também a aquisições cujos alvos não foram revelados.

No Brasil, a Sonda IT atua desde 1989, contando hoje com 6,5 mil colaboradores e mais de 1,2 mil clientes ativos distribuídos por 31 escritórios locais.

Ao todo, a empresa está presente em dez países - Argentina,Chile, Colômbia, Equador, Costa Rica, México, Peru, Uruguai e Panamá, fora o Brasil – e é considerada a quarta maior corporação de TI presente na América Latina, segundo a IDC.

Globalmente, a corporação mantém mais de 12 mil colaboradores distribuídos em 62 escritórios.