Senai Londrina recebeu certificação. Foto: divulgação.

O Senai Londrina e a Eco Sistemas, de Niterói, são as duas novas organizações a receber a certificação nível G do MPS-SV (Serviços).

No Senai Londrina, a obtenção da avaliação vem no rastro da implantação do Instituto Senai de Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como a adoção do programa MPS-SV.

"Isso reforça a nossa motivação em nos tornarmos uma referência nesta área”, explica Silvana Mali Kumura, coordenadora de Serviços Técnicos e Inovação (STI) do Senai Londrina.

Já na Eco Sistemas, empresa carioca do setor de softwares para saúde , o MPS-SV chega para complementar a avaliação nível C do MPS-SW, obtida em 2012. O desafio era o de melhorar os processos no setor de serviços, que não tinha essa cultura.

Segundo gerente de Qualidade da ECO Sistemas, Larissa Lopes de Araújo, a empresa sempre esteve mais focada na venda de serviços do que no desenvolvimento de software, com um portfolio de produtos de Saúde otimizado para cada cliente.

"A certificação nos fortalece em relação ao atendimento por SLA (Service Level Agreement). Hoje, a nossa Central de Serviços possui uma equipe bem instalada, capacitada e avaliada MPS-SV nível G" detalha a executiva.

Lançado em dezembro de 2003 e coordenado pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), o programa MPS.BR efetuou mais de 500 avaliações MPS-SW e capacitadas mais de 6 mil pessoas por meio de cursos e provas oficiais MPS.

Para este ano, a meta da Softex é superar a marca de 600 avaliações MPS em todas as regiões do país, tanto as MPS-SW como MPS-SV, bem como dar sequência ao processo de internacionalização do modelo MPS.

O novo modelo MPS-SV está na quarta avaliação. A iniciativa conta com investimentos das empresas e com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID/FUMIN) e do Sebrae.