Rodrigo Abreu, CEO da Oi. Foto: divulgação.

A diretoria da Oi decidiu fazer uma quarentena preventiva após ter contato com um executivo estrangeiro que confirmou estar com o coronavírus. Para os brasileiros, os resultados foram negativos.

De acordo com o site Tele Síntese, Rodrigo Abreu, CEO da empresa, estava entre os que passaram a fazer home office.

Após o resultado negativo, os executivos teriam retornado para os escritórios da operadora. No restante na empresa, nenhum caso do Covid-19 foi registrado.

Com a crise do coronavírus, a Oi cancelou os eventos internos e a participação em externos.

A empresa orientou a redução ao máximo de todas as viagens profissionais, tanto nacionais quanto internacionais, e isolamento domiciliar com trabalho remoto por 14 dias - preferencialmente para colaboradores que tenham retornado de viagens internacionais e obrigatoriamente no caso de apresentação de sintomas.

Para os funcionários sem sintomas que tenham tido contato com casos suspeitos ou confirmados, a companhia também estabeleceu recomendação de isolamento domiciliar e trabalho remoto por duas semanas.

As reuniões presenciais foram reduzidas, além de serem adotados procedimentos específicos com colaboradoras grávidas. Segundo a empresa, a higienização dos prédios também foi reforçada.