Ascomcer integra processos com MV. Foto: www.ascomcer.com.br

O Hospital Maria José Baeta Reis Ascomcer, de Minas Gerais, adotou o sistema MV para automatizar todos os processos da instituição, que é focado em oncologia, com média mensal de 80 atendimentos no setor de radioterapia e 1,2 mil em quimioterapia.

A automatização envolve a instalação da solução em 70 estações de trabalho, incluindo também a aquisição de novos servidores e a infra de cabeamento de rede, que foi refeita para dar segurança ao tráfego de informações.

“Como não tínhamos onde colocar a nova estrutura, também estamos construindo uma sala para o departamento de TI, cuja previsão de entrega é início ainda junho”, ressalta o analista de Rede, Anderson Torres Moreira.

De acordo com ele, o processo de implantação do MV já começou e, no momento, estão sendo dimensionados os locais de uso do sistema.

“Consultores da MV estão entrevistando os funcionários dos setores para colher informações dos processos. Após isto é que o sistema será de fato configurado para darmos início às capacitações e treinamentos de usuários”, explica Moreira.

A meta é que a solução da MV entre em produção em 1º de novembro.

Conforme o administrador Hospitalar do Ascomcer, Maurício Sá, a solução foi indicada por alguns colaboradores da instituição que também trabalham em outro hospital de Juiz de Fora, onde a MV já é utilizada.

“Eles nos relataram os benefícios, e nossas expectativas são as melhores possíveis. Com este sistema teremos o controle de todas as atividades, além de redução de custos operacionais, aumento do faturamento e da apuração dos custos por setor”, conclui Sá.

Inaugurado em 1988, o Hospital Maria José Baeta Reis Ascomcer tem 66 leitos para internamentos, quatro para UTI, cinco para pediatria, 28 para tratamento clínico, um para radiomoldagem, 24 para cirurgia e quatro apartamentos para particulares e convênios.

Já a MV é especializada em ERP para saúde e recentemente reforçou a estrutura com a compra das empresas Microdata, Centercall e Micropacs, que compõem o Grupo Microdata, focado em software de gestão de imagens médicas.

Foi a segunda aquisição da MV este ano: em janeiro, a companhia comprou o porto-alegrense Grupo Hospidata, composto por HDS Assessoria e Serviços, HD Processamento e Hospidata.

Em 2011, a MV faturou R$ 100 milhões, crescimento de 20% sobre 2010. Este ano, a projeção é chegar R$ 125 milhões.

Prestes a completar 25 anos de mercado, a empresa está em vias de inauguração de uma nova sede, no Recife, e emprega cerca de 800 colaboradores, atendendo a uma carteira de mais de 500 instituições de saúde, totalizando cerca de 200 mil usuários ativos.