Rodrigo Kede, presidente da IBM Brasil. Foto: divulgação.

A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), ligada ao Ministério da Justiça, vai implantar 27 Centros Integrados de Comando e Controle Móvel (CiCCM), equipados com tecnologias da IBM e Cisco para integrar ações de segurança pública durante grandes eventos esportivos.

No foco estão a Copa das Confederações 2013, Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016.

Subcontratadas pelo Consórcio Rontan e pela Medidata, IBM e Cisco irão instalar sistemas de comunicação via rádio, microondas e telefonia, vídeomonitoramento com câmeras térmicas e visuais.

A IBM entra com seu software Intelligent Operations Center, sistema com capacidade de análise de vídeo e solução escalável de armazenamento de dados.

Já a Cisco proverá as tecnologias de comunicação e colaboração do sistema, incluindo roteadores e switches de alta perfomance, pontos de acesso Wi-Fi internos e externos, sistema de telefonia IP.

A companhia também fornece a plataforma IPICS - Cisco IP Interoperability and Collaboration System, que permitirá a interligação dos os sistemas legados de rádiocomunicação e telefonia de órgãos como polícia federal, SAMU, corpo de bombeiros, polícia militar e civil dos estados.

A meta é possibilitar que as instituições coordenem ações em conjunto para agilizar a capacidade de resposta a incidentes ou ameaças à segurança pública.

Os CiCCM funcionarão em caminhões e poderão abrigar até 16 profissionais cada, dos quais será possível monitorar operações em arenas, fan fests, hotéis, trajetos de deslocamento de delegações, aeroportos, locais de aglomeração de pessoas, entre outros.

No projeto, a Rontan atua como fabricante e adaptadora dos caminhões, além de embarcar os sistemas de TI, e a Medidata é responsável por unir todas as tecnologias e cuidar da implantação da infraestrutura, computadores e periféricos.

“Nos grandes eventos, teremos uma grande operação de segurança em toda a cidade, mas há pontos sensíveis para onde poderemos deslocar um braço das ações”, explica o secretário da Sesge, Jacinto Valdinho Caetano. “Com tecnologias móveis, sociais, de computação em nuvem e Big Data, podemos transformar o modo como as cidades operam”, avalia o Rodrigo Kede, presidente da IBM Brasil.